fbpx

Santuário Astorga

LTURGIA-23 DE JULHO QUINTA FEIRA

16ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

É Deus quem me ajuda, é o Senhor quem defende a minha vida. Senhor, de todo o coração hei de vos oferecer o sacrifício e dar graças ao vosso nome, porque sois bom (Sl 53,6.8).

Deus sempre nos leva a refletir sobre nossos erros e nos convida à conversão. Aproveitemos o impulso da mensagem divina para rever nossa vida com os olhos da fé e voltar-nos, dia a dia, para o Senhor.

Primeira Leitura: Jeremias 2,1-3.7-8.12-13

 

Leitura do livro do profeta Jeremias – 1A palavra do Senhor foi-me dirigida, dizendo: 2“Vai e grita aos ouvidos de Jerusalém. Isto diz o Senhor: Lembro-me de ti, da afeição da jovem, do amor da noiva, de quando me seguias no deserto, numa terra inculta. 3Israel, consagrado ao Senhor, era como as primícias de sua colheita; todos os que dele comiam, pecavam; males caíam sobre eles”, diz o Senhor. 7“Eu vos introduzi numa terra de pomares, para que gozásseis de seus melhores produtos, mas, apenas chegados, contaminastes o país e tornastes abominável minha herança. 8Os sacerdotes nem perguntaram onde está o Senhor. Os versados na Lei não me reconheceram, e os chefes do povo voltaram-me as costas, os profetas profetizaram em nome de Baal e correram atrás de coisas que para nada servem. 12Ó céus, espantai-vos diante disso, enchei-vos de grande horror”, diz o Senhor. 13“Dois pecados cometeu meu povo: abandonou-me a mim, fonte de água viva, e preferiu cavar cisternas, cisternas defeituosas que não podem reter água”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 35(36)

 

Em vós está a fonte da vida, ó Senhor!

1. Vosso amor chega aos céus, ó Senhor, / chega às nuvens a vossa verdade. / Como as altas montanhas eternas / é a vossa justiça, Senhor. – R.

2. Quão preciosa é, Senhor, vossa graça! † Eis que os filhos dos homens se abrigam / sob a sombra das asas de Deus. / Na abundância de vossa morada, / eles vêm saciar-se de bens. / Vós lhes dais de beber água viva, / na torrente das vossas delícias. – R.

3. Pois em vós está a fonte da vida, / e em vossa luz contemplamos a luz. / Conservai aos fiéis vossa graça, / e aos retos, a vossa justiça! – R.

Evangelho: Mateus 13,10-17

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, / pois revelaste os mistérios do teu Reino aos pequeninos, / escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 10os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que tu falas ao povo em parábolas?” 11Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos céus, mas a eles não é dado. 12Pois à pessoa que tem será dado ainda mais, e terá em abundância; mas à pessoa que não tem será tirado até o pouco que tem. 13É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque, olhando, eles não veem e, ouvindo, eles não escutam nem compreendem. 14Deste modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir, sem nada entender. Havereis de olhar, sem nada ver. 15Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’. 16Felizes sois vós, porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. 17Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não viram, desejaram ouvir o que ouvis e não ouviram”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Jesus conta parábolas para transmitir seus ensinamentos e mais facilmente atingir seus ouvintes. Mesmo usando esse recurso ao falar para as multidões, ele não obtém resultados satisfatórios. As pessoas parecem desligadas, insensíveis, superficiais. Ou então se põem a seguir Jesus, mas sua escolha é sem consistência. Logo desistem. São
como o terreno cheio de pedras em que a semente brota, mas não desabrocha nem cresce. Aos discípulos, aos quais “é dado conhecer os mistérios do Reino dos Céus”, Jesus acrescenta explicações, esclarece pontos ainda obscuros para eles. Houve ocasião em que os discípulos explicitamente pediram a Jesus para lhes explicar a parábola do joio (cf. Mt 23,36). Eles fazem a experiência de conviver com Jesus, sorte que os antigos profetas não tiveram.

Oração
Senhor Jesus, declaras felizes teus discípulos porque podem testemunhar tua presença e a realidade do Reino. Em contrapartida, muitos dentre a multidão te buscam por mera curiosidade, sem sincero desejo de conversão. Abre nossa mente, Senhor, para acolher e praticar teus ensinamentos. Amém.

Fonte:paulus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *