fbpx

Santuário Astorga

LTURGIA-21 DE JULHO TERÇA FEIRA

16ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

É Deus quem me ajuda, é o Senhor quem defende a minha vida. Senhor, de todo o coração hei de vos oferecer o sacrifício e dar graças ao vosso nome, porque sois bom (Sl 53,6.8).

Em sua misericórdia, Deus nos assegura que “lançará ao fundo do mar nossos pecados”. Celebremos agradecidos ao Senhor, que nos reúne como família de Cristo e nos mostra sua bondade sem fim.

Primeira Leitura: Miqueias 7,14-15.18-20

Leitura da profecia de Miqueias – 14Apascenta o teu povo com o cajado da autoridade, o rebanho de tua propriedade, os habitantes dispersos pela mata e pelos campos cultivados; que eles desfrutem a terra de Basã e Galaad, como nos velhos tempos. 15E, como foi nos dias em que nos fizeste sair do Egito, faze-nos ver novos prodígios. 18Qual Deus existe, como tu, que apagas a iniquidade e esqueces o pecado daqueles que são resto de tua propriedade? Ele não guarda rancor para sempre, o que ama é a misericórdia. 19Voltará a compadecer-se de nós, esquecerá nossas iniquidades e lançará ao fundo do mar todos os nossos pecados. 20Tu manterás fidelidade a Jacó e terás compaixão de Abraão, como juraste a nossos pais, desde tempos remotos. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 84(85)

Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade.

1. Favorecestes, ó Senhor, a vossa terra, / libertastes os cativos de Jacó. / Perdoastes o pecado ao vosso povo, / encobristes toda a falta cometida; / retirastes a ameaça que fizestes, / acalmastes o furor de vossa ira. – R.

2. Renovai-nos, nosso Deus e salvador, / esquecei a vossa mágoa contra nós! / Ficareis eternamente irritado? / Guardareis a vossa ira pelos séculos? – R.

3. Não vireis restituir a nossa vida, / para que em vós se rejubile o vosso povo? / Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade, / concedei-nos também vossa salvação! – R.

Evangelho: Mateus 12,46-50

Aleluia, aleluia, aleluia.

Quem me ama, realmente, guardará minha Palavra, / e meu Pai o amará, e a ele nós viremos (Jo 14,23). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 46enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 47Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem falar contigo”. 48Jesus perguntou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?” 49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos. 50Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Não está dito que Jesus tenha recusado receber sua mãe e seus parentes. Ele aproveita o ensejo para apresentar uma novidade. Doravante, a pertença à familiaridade de Jesus se dá por outros critérios, e não somente pelos laços de sangue. Sua nova família se constitui com as pessoas que fazem a vontade do Pai celeste. Jesus não fica confinado a pequeno grupo, ou exclusivo de uma raça. Ele vem para unir ao seu redor os povos do mundo inteiro. Ele é o Senhor e o Mestre de todos. Ele próprio se autodenomina o bom Pastor e prediz que “todos se tornarão um só rebanho com um só pastor” (Jo 10,16). Pois ele veio do Pai para salvar não apenas um povo, mas para reunir os filhos de Deus que estão espalhados por toda parte (cf. Jo 11,52). Você se sente fazendo parte da família de Jesus Cristo?

Oração
Senhor Jesus, diante das multidões tu nos apresentas a tua nova família, que é também a nossa. Para pertencer a ela, não importam os vínculos de sangue ou de raça; o que conta, de fato, é fazer a vontade do Pai celeste. Ajuda-  nos, Senhor, a ser fiéis cumpridores da vontade de Deus. Amém.

Fonte:paulus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *