fbpx

Entidades movem ação contra ‘CPI do Aborto’

Cinco entidades pró-aborto pediram ao Ministério Público Federal (MPF) ação contra a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o aborto que será instaurada pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) depois das eleições de outubro.

A clínica jurídica Cravinas, prática em direitos humanos e direitos sexuais e reprodutivos da faculdade de Direito da Universidade de Brasília; Anis, Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo; Coletivo Feminista de Sexualidade e Saúde; Coletivo Margarida Alves de Assessoria Popular; e o Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher assinaram o ofício enviado à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão e à Procuradoria da República em Santa Catarina.

A CPI apura o caso que envolve a menina de 11 anos, vítima de aborto presumido, o que despenalizaria o crime, submetida a um aborto no dia 22 de junho.

 

A menina havia sido levada para um abrigo por ordem da juíza Joana Ribeiro Zimmer em 1º de junho deste ano. A juíza não autorizou o aborto por já ser 22ª semana de gravidez.

Embora o caso corresse em segredo de Justiça, veio a público nos sites The Intercept Brasil e no Portal Catarinas, no dia 20 de junho.

Segundo as entidades pró-aborto, a abertura de uma CPI para investigar a menina e os profissionais envolvidos é inconstitucional. “A pretensão dos parlamentares é criar insegurança jurídica em torno de um procedimento legal, produzindo diversas consequências negativas, como o afastamento de mulheres, meninas e pessoas com capacidade de gestar dos serviços de saúde”, diz o ofício. “A tentativa dos parlamentares de instrumentalizar uma CPI para a promoção de discussões morais em torno do procedimento de aborto legal caracteriza-se como abuso de poder parlamentar, na medida em que, de forma injustificada, a CPI implicará na restrição de direitos fundamentais dos envolvidos nos fatos e criará uma situação de insegurança jurídica em torno do direito ao aborto legal”.

Fonte:ACI.didigital

E venha conhecer o segundo maior santuário de Nossa Senhora Aparecida do Brasil, agende uma visita com sua romaria e acompanhe as celebrações ao vivo através da Rádio 107,7 e da nossa página do facebook e canal do youtubehttps://www.youtube.com/results?search_query=santuario-de-nossa-senhora-aparecida-de-astorga

MAPA DO SITE

ONDE ENCONTRAR

PRAÇA PADRE JOÃO JANSEN - S/Nº
CEP: 86730-000 - ASTORGA - PARANÁ

HORÁRIO DE ATENDIMENTO DA SECRETARIA

SEGUNDA À SEXTA-FEIRA, DAS 8H ÀS 19H, SÁBADO DAS 8H ÀS 18H.

(44) 3234 - 1350
SANTUÁRIOASTORGA@DIOCESEDEAPUCARANA. COM.BR