fbpx <meta name="viewport" content="width=device-width, initial-scale=1.0, viewport-fit=cover" />

Bispo de Jundiaí e Scalabrinianos tomam medidas em caso de pastor que “concelebrou” Missa

O Bispo de Jundiaí, Dom Vicente Costa, e o Superior Regional da Congregação dos Missionários de São Carlos (Scalabrinianos) adotaram medidas no caso do padre que permitiu que um pastor “concelebrasse” a Missa, entre as quais está o afastamento do sacerdote do ofício de pároco.

O caso ocorreu durante a Missa de Quarta-feira de Cinzas, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, a qual é confiada à Congregação dos Missionários de São Carlos. A celebração foi presidida por Padre José Carlos Perroni e contou com a presença do Pastor Francisco Leite, da igreja presbiteriana Unida do Brasil.

Um vídeo que ganhou grande alcance nas redes sociais mostra partes da Santa Missa em que o pastor aparece lendo um trecho da Oração Eucarística e elevando a Sagrada Eucaristia durante a oração do Cordeiro. Além disso, após o sacerdote comungar, também o pastor consome a hóstia consagrada.

À ACI Digital, Dom Vicente Costa contou que teve conhecimento do ocorrido na quinta-feira e, já na sexta-feira, se reuniu com o provincial dos Scalabrinianos que foi de São Paulo a Jundiaí. Assim, como assinalou nota de esclarecimento publicada pela Diocese de Jundiaí, acharam “oportuno, em comum acordo”, o afastamento de Pe. José Carlos “do ofício de Pároco”.

Além disso, em nota, o Bispo informou que, “conforme a vigente legislação da Igreja em situações como esta, enviamos o ocorrido à Congregação para a Doutrina da Fé, em Roma, a fim de que nos seja indicado qual o caminho a seguir”.

 

“Como Bispo – afirma Dom Vicente – não podia deixar de levar à Congregação para Doutrina da Fé (em Roma)”; e ressaltou que a remoção do sacerdote do cargo de pároco se deu “em comum acordo” com o provincial, que considerou que seria “bom que o padre se afastasse de Jundiaí” tanto para o próprio presbítero quanto para a comunidade.

Na mesma nota, foi informado que o sacerdote Scalabriniano Giuseppe Bortolato foi nomeado administrador paroquial. Nesse sentido, o porta-voz da Diocese de Jundiaí, Pe. Milton Rogério Vicente, disse à ACI Digital que a nota de esclarecimento foi lida em todas as Missas na Paróquia Sagrado Coração de Jesus e que a comunidade acolheu bem o novo sacerdote.

“Entenderam que foi uma decisão da Igreja Mãe e Mestra e que, assim, estão em boas mãos”, disse o porta-voz, acrescentando que “os fiéis têm acompanhado o caso em oração”.

A seguir, a íntegra da nota da Diocese de Jundiaí:

“Irmãos, no caso de alguém ser surpreendido numa falta (…), corrigi-o, em espírito de mansidão” (Gl 6,1).

Diante do fato ocorrido na Quarta-feira de Cinzas, 17 de fevereiro pp., na Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus, Bairro Colônia, cidade de Jundiaí – SP, quando o Pároco, Revmo. Padre José Carlos Pedrini, CS, celebrou a Santa Eucaristia com a participação ativa de um ministro não pertencente à Igreja Católica – fato este não permitido pelas normas de nossa Igreja –, queremos esclarecer aos fiéis quanto segue:

  1. Lamentamos sinceramente o acontecimento que gerou, com razão, grande desorientação e divisão entre os fiéis. Além disso, como se não bastasse a perturbação da comunidade local, a ampla divulgação do evento pelas mídias digitais tem causado reações muito diversas e completamente opostas, acentuando ainda mais a ferida infligida à unidade eclesial, que encontra justamente na Santa Eucaristia a sua fonte e o fundamento último de sua unidade na mesma fé, esperança e caridade.
  2. Acreditamos que o referido Presbítero, conhecido por sua dedicação e generosidade, particularmente aos pobres e aos migrantes, não tenha agido de má-fé. Uma inadequada compreensão das iniciativas relacionadas ao sempre louvável diálogo ecumênico talvez esteja na base de seu impulso. Importa salientar, portanto, que sua ação parece não derivar da consciência expressa de querer desobedecer às normas da Igreja Católica ou ferir a sacralidade da Santíssima Eucaristia.
  3. Continuamos a acreditar firmemente no diálogo ecumênico sadio e autêntico com outras comunidades cristãs, tão defendido pelo Concílio Vaticano II e pelos pronunciamentos dos últimos Papas, a fim de podermos atender à prece de nosso Senhor Jesus Cristo: “Que todos sejam um” (Jo 17,21). E renovamos nossos sentimentos de fraterna estima pela Igreja Presbiteriana Unida do Brasil, que, na pessoa de um de seus pastores, malgrado seu, se viu envolvida numa situação que nos é tão sensível.
  4. Conforme a vigente legislação da Igreja em situações como esta, enviamos o ocorrido à Congregação para a Doutrina da Fé, em Roma, a fim de que nos seja indicado qual o caminho a seguir. Neste tempo, achamos oportuno, em comum acordo com o Superior Regional da Congregação dos Missionários de São Carlos (Scalabrinianos), que o Revmo. Padre José Carlos Pedrini, SC, seja afastado do ofício de Pároco. E no seu lugar, foi nomeado o Revmo. Padre Giuseppe Bortolato, CS, como o Administrador Paroquial da Paróquia Sagrado Coração de Jesus.
  5. Por fim, asseguramos a todos que essas medidas foram tomadas num ambiente de diálogo fraterno entre todas as partes envolvidas, pois cremos na “fraternidade e diálogo: compromisso de amor”.

Que Cristo, nossa Paz, fortaleça nossa união, “para que do que era dividido, Ela faça uma unidade” (cf. Ef 2,14a), tornando-nos cada vez mais “um só Corpo e um só Espírito”.

Fonte:ACI.digital

ONDE ENCONTRAR

PRAÇA PADRE JOÃO JANSEN - S/Nº
CEP: 86730-000 - ASTORGA - PARANÁ

HORÁRIO DE ATENDIMENTO DA SECRETARIA

SEGUNDA À SEXTA-FEIRA, DAS 8H ÀS 19H, SÁBADO DAS 8H ÀS 18H.

(44) 3234 - 1350
SANTUÁRIOASTORGA@DIOCESEDEAPUCARANA. COM.BR