fbpx

Santuário Astorga

Defendeu seu bebê “com unhas e dentes” do aborto e agora é uma mãe orgulhosa

A plataforma pró-vida “Salvar el 1″ publicou, neste domingo, o testemunho de uma mãe que defendeu seu bebê “com unhas e dentes”, frente à pressão do pai do pequeno que queria que ela abortasse.

Assim conta Raquel D., uma mulher da Costa Rica que, depois de compartilhar sua experiência de defender a vida de seu filho, se juntou ao grupo “40 Dias por la Vida”, que reza pelo fim do aborto.

“Eu sempre sonhei em ser mãe e sempre fui totalmente contra o aborto. Há pouco mais de dois anos, percebi que seria mãe e, embora não estivesse preparada e sentisse medo, amei meu bebê a partir desse momento”, conta Raquel.

“Ele foi concebido em uma noite na qual seu pai e eu não tomamos precauções. Dois meses e meio depois, soube que estava grávida. Quando esse positivo saiu, tive medo de contar o que havia acontecido. Mais medo dele do que do meu próprio pai”, continua.

Raquel conta que, quando lhe deu a notícia da gravidez, o pai do bebê “permaneceu em silêncio e começou a me dizer que eu deveria fazer um aborto. Foi chocante escutar isso. Dizia-me que me levaria a um lugar seguro, embora aqui na Costa Rica o aborto nem é legal”.

“Ele me assediava e eu dizia que eu não faria isso porque o bebê não era o culpado pelo que havíamos feito e que, com ou sem o apoio dele, eu teria meu bebê”, lamentou.

Depois de ver “que ela não ia fazer um aborto”, o pai do menino “começou a me ofender e depois me assustava para que eu tivesse um aborto espontâneo, ele me dizia que o bebê não seria saudável, pois havia usado todo tipo de drogas”.

“Ele me falou inclusive de uma doença sexualmente transmissível, só para me assustar, pois ele não tinha nada. Neste dia, eu cheguei a desmaiar, e hoje ele é pai somente de pensão”.

Raquel afirma que “ter defendido a vida de meu filho com unhas e dentes é uma das coisas das quais sempre me sentirei orgulhosa, porque meu filho é a melhor coisa que pode ter acontecido na minha vida e merece o melhor do mundo”.

“Vivi coisas muito difíceis, traumas que até agora venho superando, mas Deus nunca nos abandonou. Eu amo ser pró-vida”, conclui.

Fonte:ACI.digital