Santuário Astorga

Liturgia diária

LITURGIA-30 DE JANEIRO QUINTA FEIRA

Posted on

3ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Cantai ao Senhor um canto novo, cantai ao Senhor, ó terra inteira; esplendor, majestade e beleza brilham no seu templo santo (Sl 95,1.6).

Toda oração autêntica conduz o coração do fiel a querer permanecer na presença de Deus. Nesta liturgia, o Senhor nos eduque para que nosso agir seja cada vez mais luminoso e generoso.

Primeira Leitura: 2 Samuel 7,18-19.24-29

 

Leitura do segundo livro de Samuel – Depois que Natã falara a Davi, o rei entrou no tabernáculo, 18foi assentar-se diante do Senhor e disse: “Quem sou eu, Senhor Deus, e o que é a minha família, para que me tenhas conduzido até aqui? 19Mas, como isso te parecia pouco, Senhor Deus, ainda fizeste promessas à casa do teu servo para um futuro distante. Porque esta é a lei do homem, Senhor Deus! 24Estabeleceste o teu povo, Israel, para que ele seja para sempre o teu povo; e tu, Senhor, te tornaste o seu Deus. 25Agora, Senhor Deus, cumpre para sempre a promessa que fizeste ao teu servo e à sua casa e faze como disseste! 26Então o teu nome será exaltado para sempre, e dirão: ‘O Senhor todo-poderoso é o Deus de Israel’. E a casa do teu servo Davi permanecerá estável na tua presença. 27Pois tu, Senhor todo-poderoso, Deus de Israel, fizeste esta revelação ao teu servo: ‘Eu te construirei uma casa’. Por isso o teu servo se animou a dirigir-te esta oração. 28Agora, Senhor Deus, tu és Deus e tuas palavras são verdadeiras. Pois que fizeste esta bela promessa ao teu servo, 29abençoa, então, a casa do teu servo, para que ela permaneça para sempre na tua presença. Porque és tu, Senhor Deus, que falaste, e é graças à tua bênção que a casa do teu servo será abençoada para sempre”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 131(132)

 

O Senhor vai dar-lhe o trono / de seu pai, o rei Davi.

1. Recordai-vos, ó Senhor, do rei Davi / e de quanto vos foi ele dedicado; / do juramento que ao Senhor havia feito / e de seu voto ao Poderoso de Jacó. – R.
2. “Não entrarei na minha tenda, minha casa, / nem subirei à minha cama em que repouso, / não deixarei adormecerem os meus olhos / nem cochilarem em descanso minhas pálpebras, / até que eu ache um lugar para o Senhor, / uma casa para o Forte de Jacó!” – R.
3. O Senhor fez a Davi um juramento, / uma promessa que jamais renegará: / “Um herdeiro que é fruto do teu ventre / colocarei sobre o trono em teu lugar! – R.
4. Se teus filhos conservarem minha aliança / e os preceitos que lhes dei a conhecer, / os filhos deles igualmente hão de sentar-se / eternamente sobre o trono que te dei!” – R.
5. Pois o Senhor quis para si Jerusalém / e a desejou para que fosse sua morada: / “Eis o lugar do meu repouso para sempre, / eu fico aqui: este é o lugar que preferi!” – R.

Evangelho: Marcos 4,21-25

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Vossa Palavra é uma luz para os meus passos / e uma lâmpada luzente em meu caminho (Sl 118,105). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, Jesus disse à multidão: 21“Quem é que traz uma lâmpada para colocá-la debaixo de um caixote ou debaixo da cama? Ao contrário, não a coloca num candeeiro? 22Assim, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto, e tudo o que está em segredo deverá ser descoberto. 23Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça”. 24Jesus dizia ainda: “Prestai atenção no que ouvis: com a mesma medida com que medirdes, também vós sereis medidos; e vos será dado ainda mais. 25Ao que tem alguma coisa, será dado ainda mais; do que não tem, será tirado até mesmo o que ele tem”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Jesus dizia de si mesmo: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará na escuridão, mas terá a luz da vida” (Jo 8,12). E a seus discípulos dizia: “Vocês são a luz do mundo” (Mt 5,14). E recomendava-lhes: “Brilhe a luz de vocês diante das pessoas, para que elas glorifiquem o Pai de vocês que está nos céus” (Mt 5,16). A luz é a verdade; é a Palavra de Deus. A luz é a própria presença de Deus. Jesus nos pede que demos testemunho da luz. O evangelho precisa ser anunciado e conhecido no mundo todo. Essa é a missão que cristãos e cristãs receberam de Jesus. Cabe a pergunta: Somos luz na vida dos nossos semelhantes? Quanto aos dons que de Deus recebemos, eles podem ser luz na vida das pessoas: poderão transfigurar o mundo, se os fizermos frutificar.

Oração
Ó Jesus, entusiasta comunicador do Pai, preparas nossa mente e o coração para acolher e realizar tua Palavra em nossa vida e no mundo. Impulsiona-nos a orientar homens e mulheres de toda parte, para que conheçam, amem e frutifiquem o insondável tesouro de tua divina mensagem. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-29 DE JANEIRO QUARTA FEIRA

Posted on

3ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Cantai ao Senhor um canto novo, cantai ao Senhor, ó terra inteira; esplendor, majestade e beleza brilham no seu templo santo (Sl 95,1.6).

Entre nós foi lançada a semente do Reino. Vamos acolhê-la e cultivá-la para viver sempre na graça de Deus, pela qual edificamos a comunidade-Igreja.

Primeira Leitura: 2 Samuel 7,4-17

 

Leitura do segundo livro de Samuel – Naqueles dias, 4a palavra do Senhor foi dirigida a Natã nestes termos: 5“Vai dizer ao meu servo Davi: ‘Assim fala o Senhor: Porventura és tu que me construirás uma casa para eu habitar? 6Pois eu nunca morei numa casa, desde que tirei do Egito os filhos de Israel até o dia de hoje, mas tenho vagueado em tendas e abrigos. 7Por todos os lugares onde andei com os filhos de Israel, disse, porventura, a algum dos chefes de Israel, que encarreguei de apascentar o meu povo: Por que não me edificastes uma casa de cedro?’ 8Dirás, pois, agora ao meu servo Davi: ‘Assim fala o Senhor todo-poderoso: Fui eu que te tirei do pastoreio, do meio das ovelhas, para que fosses o chefe do meu povo, Israel. 9Estive contigo em toda parte por onde andaste e exterminei diante de ti todos os teus inimigos, fazendo o teu nome tão célebre como o dos homens mais famosos da terra. 10Vou preparar um lugar para o meu povo, Israel: eu o implantarei, de modo que possa morar lá sem jamais ser inquietado. Os homens violentos não tornarão a oprimi-lo como outrora, 11no tempo em que eu estabelecia juízes sobre o meu povo, Israel. Concedo-te uma vida tranquila, livrando-te de todos os teus inimigos. E o Senhor te anuncia que te fará uma casa. 12Quando chegar o fim dos teus dias e repousares com teus pais, então suscitarei, depois de ti, um filho teu e confirmarei a sua realeza. 13Será ele que construirá uma casa para o meu nome, e eu firmarei para sempre o seu trono real. 14Eu serei para ele um pai, e ele será para mim um filho. Se ele proceder mal, eu o castigarei com vara de homens e com golpes dos filhos dos homens. 15Mas não retirarei dele a minha graça, como a retirei de Saul, a quem expulsei da minha presença. 16Tua casa e teu reino serão estáveis para sempre diante de mim, e teu trono será firme para sempre’”. 17Natã comunicou a Davi todas essas palavras e toda essa revelação. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 88(89)

 

Guardarei eternamente para ele a minha graça.

1. “Eu firmei uma aliança com meu servo, meu eleito, / e eu fiz um juramento a Davi, meu servidor. / Para sempre, no teu trono, firmarei tua linhagem, / de geração em geração, garantirei o teu reinado!” – R.
2. Ele então me invocará: “Ó Senhor, vós sois meu Pai, / sois meu Deus, sois meu rochedo onde encontro a salvação!” / E por isso farei dele o meu filho primogênito, / sobre os reis de toda a terra farei dele o rei altíssimo. – R.
3. Guardarei eternamente para ele a minha graça / e com ele firmarei minha aliança indissolúvel. / Pelos séculos sem fim conservarei sua descendência, / e o seu trono, tanto tempo quanto os céus, há de durar. – R.

Evangelho: Marcos 4,1-20

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Semente é de Deus a Palavra, / o Cristo é o semeador; / todo aquele que o encontra, / vida eterna encontrou. – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 1Jesus começou a ensinar de novo às margens do mar da Galileia. Uma multidão muito grande se reuniu em volta dele, de modo que Jesus entrou numa barca e se sentou, enquanto a multidão permanecia junto às margens, na praia. 2Jesus ensinava-lhes muitas coisas em parábolas. E, em seu ensinamento, dizia-lhes: 3“Escutai! O semeador saiu a semear. 4Enquanto semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho; vieram os pássaros e a comeram. 5Outra parte caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; brotou logo, porque a terra não era profunda, 6mas, quando saiu o sol, ela foi queimada; e, como não tinha raiz, secou. 7Outra parte caiu no meio dos espinhos; os espinhos cresceram, a sufocaram, e ela não deu fruto. 8Outra parte caiu em terra boa e deu fruto, que foi crescendo e aumentando, chegando a render trinta, sessenta e até cem por um”. 9E Jesus dizia: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”.
10Quando ficou sozinho, os que estavam com ele, junto com os doze, perguntaram sobre as parábolas. 11Jesus lhes disse: “A vós foi dado o mistério do reino de Deus; para os que estão fora, tudo acontece em parábolas, 12para que olhem, mas não enxerguem, escutem, mas não compreendam, para que não se convertam e não sejam perdoados”. 13E lhes disse: “Vós não compreendeis esta parábola? Então, como compreendereis todas as outras parábolas? 14O semeador semeia a Palavra. 15Os que estão à beira do caminho são aqueles nos quais a Palavra foi semeada; logo que a escutam, chega satanás e tira a Palavra que neles foi semeada. 16Do mesmo modo, os que receberam a semente em terreno pedregoso são aqueles que ouvem a Palavra e logo a recebem com alegria, 17mas não têm raiz em si mesmos, são inconstantes; quando chega uma tribulação ou perseguição por causa da Palavra, logo desistem. 18Outros recebem a semente entre os espinhos: são aqueles que ouvem a Palavra, 19mas, quando surgem as preocupações do mundo, a ilusão da riqueza e todos os outros desejos, sufocam a Palavra, e ela não produz fruto. 20Por fim, aqueles que recebem a semente em terreno bom são os que ouvem a Palavra, a recebem e dão fruto; um dá trinta, outro sessenta e outro cem por um”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Jesus investe tempo e energias ensinando não somente os apóstolos, mas também as multidões que chegam de todas as partes. Anuncia-lhes a Palavra, atende às necessidades pessoais de seus ouvintes, cura os enfermos. Intensa e fatigosa é sua atividade cotidiana. Obra de zeloso evangelizador. Comparada ao cuidadoso trabalho do semeador. As sementes se comportam conforme a qualidade do terreno; o resultado é desigual, pois os terrenos são diferentes. Assim também a Palavra de Deus, que será acolhida segundo a disposição de cada ouvinte. Alguns se deixam envolver por ela e se tornam fiéis discípulos de Jesus. Outros, vencida a euforia inicial, vão esfriando o ânimo e se afastam. A parábola deixa espaço para cada cristão responder a si mesmo: qual é, para mim, o significado e o efeito da Palavra de Deus?

Oração
Ó incansável semeador da Palavra, Jesus Cristo, reconhecemos que muitas vezes somos desatentos, surdos e cegos diante de tuas exigências. Então desperdiçamos tempo em coisas sem importância. Deixamos escapar boas ocasiões para acolher tua Palavra e ser transformados por ela. Perdão, Senhor. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-28 JANEIRO TERÇA FEIRA

Posted on

SANTO TOMÁS DE AQUINO

PRESBÍTERO E DOUTOR DA IGREJA

(branco, pref. comum ou dos pastores, pág. 7 – ofício da memória)

Os sábios refulgirão como o esplendor do firmamento; e os que ensinaram a muitos a justiça brilharão como estrelas para sempre (Dn 12,3).

Tomás, da família dos condes de Aquino, nasceu na Itália em 1225 e lá faleceu em 1274. Recebeu sua formação inicial dos Beneditinos, mas mais tarde optou, livre e decididamente, pela vida dos mendicantes informada por são Domingos. Frei Tomás consagrou-se a estabelecer a harmonia inicial entre fé e razão. Prestou à Igreja frutuoso serviço, obtendo desta o título de “doutor comum”. Celebrando sua memória, rezemos por todos os teólogos e pelos membros da família dominicana.

Primeira Leitura: 2 Samuel 6,12-15.17-19

 

Leitura do segundo livro de Samuel – Naqueles dias, 12Davi pôs-se a caminho e transportou festivamente a arca de Deus da casa de Obed-Edom para a cidade de Davi. 13A cada seis passos que davam, os que transportavam a arca do Senhor sacrificavam um boi e um carneiro. 14Davi, cingido apenas com um éfode de linho, dançava com todas as suas forças diante do Senhor. 15Davi e toda a casa de Israel conduziram a arca do Senhor, soltando gritos de júbilo e tocando trombetas. 17Introduziram a arca do Senhor e depuseram-na em seu lugar, no centro da tenda que Davi tinha armado para ela. Em seguida, ele ofereceu holocaustos e sacrifícios pacíficos na presença do Senhor. 18Assim que terminou de oferecer os holocaustos e os sacrifícios pacíficos, Davi abençoou o povo em nome do Senhor todo-poderoso. 19E distribuiu a toda a multidão de Israel, a cada um dos homens e das mulheres, um pão de forno, um bolo de tâmaras e uma torta de uvas. Depois todo o povo foi para casa. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 23(24)

 

Dizei-nos: “Quem é este rei da glória?” / “É o Senhor, o valoroso, o grandioso!”

1. “Ó portas, levantai vossos frontões! † Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, / a fim de que o rei da glória possa entrar!” – R.
2. Dizei-nos: “Quem é este rei da glória?” † “É o Senhor, o valoroso, o onipotente, / o Senhor, o poderoso nas batalhas!” – R.
3. “Ó portas, levantai vossos frontões! † Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, / a fim de que o rei da glória possa entrar!” – R.
4. Dizei-nos: “Quem é este rei da glória?” † “O rei da glória é o Senhor onipotente, / o rei da glória é o Senhor Deus do universo!” – R.

Evangelho: Marcos 3,31-35

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, / pois revelaste os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 31chegaram a mãe de Jesus e seus irmãos. Eles ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo. 32Havia uma multidão sentada ao redor dele. Então lhe disseram: “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura”. 33Ele respondeu: “Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?” 34E olhando para os que estavam sentados ao seu redor, disse: “Aqui estão minha mãe e meus irmãos. 35Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Em outra ocasião, alguns parentes de Jesus apareceram com a intenção de interromper sua obra, pois achavam que ele tinha perdido o juízo. Não haviam entendido a missão dele. No episódio aqui proposto, fala-se de parentes próximos de Jesus, que estão fora da casa e querem falar com ele. Com certeza, esse grupo vem com boa intenção, mesmo porque estava acompanhado da mãe dele. A mãe havia percorrido o longo e duro caminho da fé e havia dialogado horas a fio com o filho; sabia de sua intimidade com o Pai e que viera para fazer a vontade dele. Era a mãe de Jesus, mas também sua primeira discípula. Com esse espírito, aqueles visitantes podiam entrar na casa e tornar-se membros da nova família de Jesus. Já não mais unidos pelos laços de sangue, mas porque fazem a vontade de Deus.

Oração
Ó Jesus, irmão universal, com palavras e atitudes mostras que a família de Deus não se limita a quatro paredes. Não são os vínculos de sangue que determinam a tua nova família. Doravante teus íntimos são os que entram na dinâmica do Reino, fazendo a vontade do Pai celeste. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-27 JANEIRO SEGUNDA FEIRA

Posted on

3ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Cantai ao Senhor um canto novo, cantai ao Senhor, ó terra inteira; esplendor, majestade e beleza brilham no seu templo santo (Sl 95,1.6).

A verdade e o amor de Deus suscitem em nosso meio bons dirigentes, ungidos pelo seu Espírito, para combater e vencer as propostas malignas que subjugam as pessoas e disseminam  divisão e destruição.

Primeira Leitura: 2 Samuel 5,1-7.10

 

Leitura do segundo livro de Samuel – Naqueles dias, 1todas as tribos de Israel vieram encontrar-se com Davi em Hebron e disseram-lhe: “Aqui estamos. Somos teus ossos e tua carne. 2Tempo atrás, quando Saul era nosso rei, eras tu que dirigias os negócios de Israel. E o Senhor te disse: ‘Tu apascentarás o meu povo Israel e serás o seu chefe’”. 3Vieram, pois, todos os anciãos de Israel até o rei em Hebron. O rei Davi fez com eles uma aliança em Hebron, na presença do Senhor, e eles o ungiram rei de Israel. 4Davi tinha trinta anos quando começou a reinar e reinou quarenta anos: 5sete anos e seis meses sobre Judá, em Hebron, e trinta e três anos em Jerusalém, sobre todo Israel e Judá. 6Davi marchou então com seus homens para Jerusalém, contra os jebuseus que habitavam aquela terra. Estes disseram a Davi: “Não entrarás aqui, pois serás repelido por cegos e coxos”. Com isso queriam dizer que Davi não conseguiria entrar lá. 7Davi, porém, tomou a fortaleza de Sião, que é a cidade de Davi. 10Davi ia crescendo em poder, e o Senhor, Deus todo-poderoso, estava com ele. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 88(89)

 

Minha verdade e meu amor estarão sempre com ele.

1. Outrora vós falastes em visões a vossos santos: † “Coloquei uma coroa na cabeça de um herói / e do meio deste povo escolhi o meu eleito. – R.
2. Encontrei e escolhi a Davi, meu servidor, / e o ungi, para ser rei, com meu óleo consagrado. / Estará sempre com ele minha mão onipotente, / e meu braço poderoso há de ser a sua força. – R.
3. Minha verdade e meu amor estarão sempre com ele, / sua força e seu poder, por meu nome, crescerão. / Eu farei que ele estenda sua mão por sobre os mares, / e a sua mão direita estenderei por sobre os rios”. – R.

Evangelho: Marcos 3,22-30

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Jesus Cristo salvador destruiu o mal e a morte; / fez brilhar pelo evangelho a luz e a vida imperecíveis (2Tm 1,10). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 22os mestres da lei, que tinham vindo de Jerusalém, diziam que ele estava possuído por Belzebu e que pelo príncipe dos demônios ele expulsava os demônios. 23Então Jesus os chamou e falou-lhes em parábolas: “Como é que satanás pode expulsar a satanás? 24Se um reino se divide contra si mesmo, ele não poderá manter-se. 25Se uma família se divide contra si mesma, ela não poderá manter-se. 26Assim, se satanás se levanta contra si mesmo e se divide, não poderá sobreviver, mas será destruído. 27Ninguém pode entrar na casa de um homem forte para roubar seus bens sem antes o amarrar. Só depois poderá saquear sua casa. 28Em verdade vos digo, tudo será perdoado aos homens, tanto os pecados como qualquer blasfêmia que tiverem dito. 29Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo nunca será perdoado; será culpado de um pecado eterno”. 30Jesus falou isso porque diziam: “Ele está possuído por um espírito mau”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

No episódio anterior, os parentes de Jesus chegaram para impedir sua atividade, pois suspeitavam de que ele estivesse “louco”. Agora vem uma carga mais pesada. Efetiva campanha de difamação. Trata-se de uma comitiva oficial. São os doutores da Lei, “descidos de Jerusalém”. Querem desqualificar a pessoa e a obra de Jesus. A acusação é gravíssima, como se Jesus fosse o agente do rival satanás (v. 22). Jesus pede que eles se aproximem para ouvir bem, e demonstra que o argumento deles é falho (v. 23). Atribuir a satanás o que é ação de Deus é blasfemar contra o Espírito Santo. Maior não é o chefe dos demônios; maior é Jesus, que age pela força do Espírito Santo. Não aceitar essa verdade é negar a evidência, é não acolher Jesus, é pecar contra o Espírito Santo.

Oração
Senhor Jesus, os doutores da Lei, para confundir o povo e atiçá-lo contra ti, usam a arma da malícia. Espalham que tens parte com o demônio. Nada mais absurdo e contraditório. Blasfêmia e pecado contra o Espírito Santo, pois o Espírito é que te envolve e conduz. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-26 JANEIRO DOMINGO

Posted on

3º DO TEMPO COMUM

(verde, glória, creio – 3ª semana do saltério)

Cantai ao Senhor um canto novo, cantai ao Senhor, ó terra inteira; esplendor, majestade e beleza brilham no seu templo santo (Sl 95,1.6).

Reunimo-nos em nome de Jesus, luz que ilumina os caminhos da nossa comunidade, a convivência, a missão e o trabalho nossos de cada dia. Esta celebração renove em nós o chamado do Senhor para segui-lo, a fim de nos tornarmos discípulos sempre mais unidos e fiéis no anúncio e propagação do reino de Deus.

Primeira Leitura: Isaías 8,23-9,3

 

Leitura do livro do profeta Isaías – 23No tempo passado, o Senhor humilhou a terra de Zabulon e a terra de Neftali; mas recentemente cobriu de glória o caminho do mar, do além-Jordão e da Galileia das nações. 9,1O povo que andava na escuridão viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu. 2Fizeste crescer a alegria e aumentaste a felicidade; todos se regozijam em tua presença como alegres ceifeiros na colheita ou como exaltados guerreiros ao dividirem os despojos. 3Pois o jugo que oprimia o povo – a carga sobre os ombros, o orgulho dos fiscais –, tu os abateste como na jornada de Madiã. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 26(27)

 

O Senhor é minha luz e salvação. / O Senhor é a proteção da minha vida.

1. O Senhor é minha luz e salvação; / de quem eu terei medo? / O Senhor é a proteção da minha vida; / perante quem eu tremerei? – R.
2. Ao Senhor eu peço apenas uma coisa / e é só isto que eu desejo: / habitar no santuário do Senhor / por toda a minha vida; / saborear a suavidade do Senhor / e contemplá-lo no seu templo. – R.
3. Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver / na terra dos viventes. / Espera no Senhor e tem coragem, / espera no Senhor! – R.

Segunda Leitura: 1 Coríntios 1,10-13.17

 

Leitura da primeira carta de são Paulo aos Coríntios – 10Irmãos, eu vos exorto, pelo nome do Senhor nosso, Jesus Cristo, a que sejais todos concordes uns com os outros e não admitais divisões entre vós. Pelo contrário, sede bem unidos e concordes no pensar e no falar. 11Com efeito, pessoas da família de Cloé informaram-me a vosso respeito, meus irmãos, que está havendo contendas entre vós. 12Digo isso porque cada um de vós afirma: “Eu sou de Paulo”, ou “eu sou de Apolo”, ou “eu sou de Cefas”, ou “eu sou de Cristo!” 13Será que Cristo está dividido? Acaso Paulo é que foi crucificado por amor de vós? Ou é no nome de Paulo que fostes batizados? 17De fato, Cristo não me enviou para batizar, mas para pregar a boa-nova da salvação, sem me valer dos recursos da oratória, para não privar a cruz de Cristo da sua força própria. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Mateus 4,12-23 ou 12-17

 

[A forma breve está entre colchetes.]

Aleluia, aleluia, aleluia.

Pois do Reino a Boa-nova Jesus Cristo anunciava, / e as dores do seu povo, com poder, Jesus curava (Mt 4,23). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – [12Ao saber que João tinha sido preso, Jesus voltou para a Galileia. 13Deixou Nazaré e foi morar em Cafarnaum, que fica às margens do mar da Galileia, 14no território de Zabulon e Neftali, para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías: 15“Terra de Zabulon, terra de Neftali, caminho do mar, região do outro lado do rio Jordão, Galileia dos pagãos! 16O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz, e para os que viviam na região escura da morte brilhou uma luz”. 17Daí em diante, Jesus começou a pregar, dizendo: “Convertei-vos, porque o reino dos céus está próximo”.] 18Quando Jesus andava à beira do mar da Galileia, viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Estavam lançando a rede ao mar, pois eram pescadores. 19Jesus disse a eles: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. 20Eles imediatamente deixaram as redes e o seguiram. 21Caminhando um pouco mais, Jesus viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João. Estavam na barca com seu pai, Zebedeu, consertando as redes. Jesus os chamou. 22Eles imediatamente deixaram a barca e o pai e o seguiram. 23Jesus andava por toda a Galileia, ensinando em suas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando todo tipo de doença e enfermidade do povo. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

João Batista sai de cena, e Jesus, após o batismo e a prova no deserto, entra de cheio na missão: estabelece morada em Cafarnaum; proclama o arrependimento e a proximidade do Reino; convoca alguns auxiliares; ensina e prega nas sinagogas, e cura o povo de suas enfermidades. O Mestre resume sua missão inicial com o imperativo: “Arrependam-se”, e proclama a chegada do Reino, sem explicar em que este consiste. Contudo, talvez se possa dizer que o arrependimento e a cura das enfermidades são a base do seu reinado. Ao chamar os primeiros seguidores, Jesus já indica sua proposta de discipulado: o convite como iniciativa dele, o desapego à segurança do trabalho (Pedro e André) e aos afetos familiares (Tiago e João), e, por fim, a comunhão com o Mestre, para depois se tornarem pescadores de gente, discípulos que libertam o povo de tudo aquilo que o degrada e destrói. Toda religião (a católica deveria ser a primeira) deveria buscar a defesa e a justiça para os pobres, pois só assim terá a bênção de Deus.

Oração
Ó Jesus, notável pregador da Galileia, chegas provocando saudável reviravolta ao teu redor. Anuncias que o Reino de Deus já está presente e nos convidas à verdadeira conversão. Dá-nos, Senhor, disposição e sensibilidade para sermos pescadores de gente, onde quer que estejamos. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-25 JANEIRO SABADO

Posted on

CONVERSÃO DE SÃO PAULO

(branco, glória, pref. dos apóstolos I, pág. 6 – ofício da festa)

Sei em quem acreditei; e estou certo de que o justo juiz conservará a minha fé até o dia de sua vinda (2Tm 1,12; 4,8).

O Cristo que chamou Paulo de Tarso, no século 1º, a dedicar-se à causa da evangelização é o mesmo que hoje nos chama a servi-lo na Igreja e na pessoa dos pobres e desvalidos. Celebrando a festa da conversão do apóstolo das gentes, rendemos graças ao Pai e suplicamos ao Filho que faça brilhar em nós a mesma luz que brilhou na vida desse grande anunciador do evangelho.

Primeira Leitura: Atos 22,3-16

 

Leitura dos Atos dos Apóstolos – Naqueles dias, Paulo disse ao povo: 3“Eu sou judeu, nascido em Tarso da Cilícia, mas fui criado aqui nesta cidade. Como discípulo de Gamaliel, fui instruído em todo o rigor da lei de nossos antepassados, tornando-me zeloso da causa de Deus, como acontece hoje convosco. 4Persegui até a morte os que seguiam esse caminho, prendendo homens e mulheres e jogando-os na prisão. 5Disso são minhas testemunhas o sumo sacerdote e todo o conselho dos anciãos. Eles deram-me cartas de recomendação para os irmãos de Damasco. Fui para lá a fim de prender todos os que encontrasse e trazê-los para Jerusalém, a fim de serem castigados. 6Ora, aconteceu que, na viagem, estando já perto de Damasco, pelo meio-dia, de repente uma grande luz que vinha do céu brilhou ao redor de mim. 7Caí por terra e ouvi uma voz que me dizia: ‘Saulo, Saulo, por que me persegues?’ 8Eu perguntei: ‘Quem és tu, Senhor?’ Ele me respondeu: ‘Eu sou Jesus, o Nazareno, a quem tu estás perseguindo’. 9Meus companheiros viram a luz, mas não ouviram a voz que me falava. 10Então perguntei: ‘Que devo fazer, Senhor?’ O Senhor me respondeu: ‘Levanta-te e vai para Damasco. Ali te explicarão tudo o que deves fazer’. 11Como eu não podia enxergar, por causa do brilho daquela luz, cheguei a Damasco guiado pelas mãos dos meus companheiros. 12Um certo Ananias, homem piedoso e fiel à lei, com boa reputação junto de todos os judeus que aí moravam, 13veio encontrar-me e disse: ‘Saulo, meu irmão, recupera a vista!’ No mesmo instante, recuperei a vista e pude vê-lo. 14Ele, então, me disse: ‘O Deus de nossos antepassados escolheu-te para conheceres a sua vontade, veres o Justo e ouvires a sua própria voz. 15Porque tu serás a sua testemunha, diante de todos os homens, daquilo que viste e ouviste. 16E agora, o que estás esperando? Levanta-te, recebe o batismo e purifica-te dos teus pecados, invocando o nome dele!’” – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 116(117)

 

Ide por todo o mundo, a todos pregai o evangelho.

1. Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes, / povos todos, festejai-o! – R.
2. Pois comprovado é seu amor para conosco, / para sempre ele é fiel! – R.

Evangelho: Marcos 16,15-18

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Eu vos designei para que vades e deis frutos / e o vosso fruto permaneça, assim disse o Senhor (Jo 15,16). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, Jesus se manifestou aos onze discípulos 15e disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o evangelho a toda criatura! 16Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. 17Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; 18se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Antes de sua ascensão ao céu, Jesus envia seus discípulos com uma ordem bem precisa: proclamar o evangelho. Os destinatários são todos os povos do mundo todo. Jesus confere aos discípulos o poder de curar doentes e expulsar demônios, isto é, libertar as pessoas de tudo o que as oprime e devolver-lhes a dignidade de filhos e filhas de Deus. Muitos sinais prodigiosos haveriam de acompanhar e confirmar a obra dos seguidores de Jesus. A Igreja primitiva (ler Atos dos Apóstolos) testemunhou a verdade dessa promessa: “O Senhor confirmava o que eles diziam sobre a graça de Deus, permitindo que através deles se realizassem sinais e prodígios” (At 14,3). Faz parte dessa corrente de pregadores o apóstolo Paulo, através do qual Deus realizava milagres extraordinários (cf. At 19,11).

Oração
Ó Jesus, divino Mestre, enviaste teus discípulos ao mundo todo, tornando-os porta-vozes dos teus ensinamentos, e prometendo-lhes tua assistência até o final dos tempos. Senhor, te bendizemos porque escolheste São Paulo, que se fez teu ardoroso seguidor, e o constituíste como apóstolo das nações. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITUGIA-24 DE JANEIRO SEXTA FEIRA

Posted on

SÃO FRANCISCO DE SALES

BISPO E DOUTOR DA IGREJA

(branco, pref. comum ou dos pastores, pág. 7 – ofício da memória)

Farei surgir um sacerdote fiel, que agirá segundo o meu coração e a minha vontade, diz o Senhor (1Sm 2,35).

Francisco de Sales, que nasceu na França em 1567 e lá faleceu em 1622, foi um dos grandes mestres de espiritualidade dos últimos séculos. A vida e os escritos desse bispo e doutor da Igreja apontaram para muitos o caminho da santidade. Padroeiro dos jornalistas e escritores católicos e um dos fundadores da Ordem da Visitação, ele nos inspira a sempre fazer a vontade de Deus.

Primeira Leitura: 1 Samuel 24,3-21

 

Leitura do primeiro livro de Samuel – Naqueles dias, 3Saul tomou consigo três mil homens escolhidos em todo Israel e saiu em busca de Davi e de seus homens, até os rochedos das cabras monteses. 4E chegou aos currais de ovelhas que encontrou no caminho. Havia ali uma gruta, onde Saul entrou para satisfazer suas necessidades. Davi e seus homens achavam-se no fundo da gruta, 5e os homens de Davi disseram-lhe: “Este certamente é o dia do qual o Senhor te falou: ‘Eu te entregarei o teu inimigo, para que faças dele o que quiseres’”. Então, Davi aproximou-se de mansinho e cortou a ponta do manto de Saul. 6Mas logo o seu coração se encheu de remorsos por ter feito aquilo, 6e disse aos seus homens: “Que o Senhor me livre de fazer uma coisa dessas ao ungido do Senhor, levantando a minha mão contra ele, o ungido do Senhor”. 8Com essas palavras, Davi conteve os seus homens e não permitiu que se lançassem sobre Saul. Este deixou a gruta e seguiu seu caminho. 9Davi levantou-se a seguir, saiu da gruta e gritou atrás dele: “Senhor, meu rei!” Saul voltou-se, e Davi inclinou-se até o chão e prostrou-se. 10E disse a Saul: “Por que dás ouvidos às palavras dos que te dizem que Davi procura fazer-te mal? 11Viste hoje com teus próprios olhos que o Senhor te entregou em minhas mãos, na gruta. Renunciando a matar-te, poupei-te a vida, porque pensei: Não levantarei a mão contra o meu senhor, pois ele é o ungido do Senhor 12e meu pai. Presta atenção e vê em minha mão a ponta do teu manto. Se eu cortei este pedaço do teu manto e não te matei, reconhece que não há maldade nem crime em mim, que não pequei contra ti. Tu, porém, andas procurando tirar-me a vida. 13Que o Senhor seja nosso juiz e que ele me vingue de ti. Mas eu nunca levantarei a minha mão contra ti. 14‘Dos ímpios sairá a impiedade’, diz o antigo provérbio; por isso, a minha mão não te tocará. 15A quem persegues tu, ó rei de Israel? A quem persegues? Um cão morto! E uma pulga! 16Pois bem! O Senhor seja juiz e julgue entre mim e ti. Que ele examine e defenda a minha causa e me livre das tuas mãos”. 17Quando Davi terminou de falar, Saul lhe disse: “É esta a tua voz, ó meu filho Davi?” E começou a clamar e a chorar. 18Depois disse a Davi: “Tu és mais justo do que eu, porque me tens feito bem e eu só te tenho feito mal. 19Hoje me revelaste a tua bondade para comigo, pois o Senhor me entregou em tuas mãos e não me mataste. 20Qual é o homem que, encontrando o seu inimigo, o deixa ir embora tranquilamente? Que o Senhor te recompense pelo bem que hoje me fizeste. 21Agora eu sei com certeza que tu serás rei e que terás em tua mão o reino de Israel”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 56(57)

 

Piedade, Senhor, tende piedade.

1. Piedade, Senhor, piedade, / pois em vós se abriga a minha alma! / De vossas asas, à sombra, me achego, / até que passe a tormenta, Senhor! – R.
2. Lanço um grito ao Senhor Deus altíssimo, / a esse Deus que me dá todo o bem. / Que me envie do céu sua ajuda † e confunda os meus opressores! / Deus me envie sua graça e verdade! – R.
3. Elevai-vos, ó Deus, sobre os céus, / vossa glória refulja na terra! / Vosso amor é mais alto que os céus, / mais que as nuvens a vossa verdade! – R.

Evangelho: Marcos 3,13-19

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Em Cristo, Deus reconciliou consigo mesmo a humanidade; / e a nós ele entregou essa reconciliação (2Cor 5,19). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 13Jesus subiu ao monte e chamou os que ele quis. E foram até ele. 14Então Jesus designou doze, para que ficassem com ele e para enviá-los a pregar, 15com autoridade para expulsar os demônios. 16Designou, pois, os doze: Simão, a quem deu o nome de Pedro; 17Tiago e João, filhos de Zebedeu, aos quais deu o nome de Boanerges, que quer dizer “filhos do trovão”; 18André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu, Tadeu, Simão, o cananeu, 19e Judas Iscariotes, aquele que depois o traiu. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Na Bíblia, o monte representa o lugar do encontro com Deus. Jesus muitas vezes subiu ao monte para estar a sós e rezar. Desta vez, a finalidade é constituir o grupo dos Doze “para que ficassem com ele, a fim de enviá-los a pregar, e para que tivessem autoridade para expulsar demônios”. Portanto, três finalidades bem definidas: estar com ele, pregar a Boa-Nova do Reino e livrar as pessoas de todo tipo de opressão. A escolha recai sobre homens de culturas e níveis sociais diferentes. Cada um se entrega ao Senhor com as condições que tem. Caberá ao Mestre torná-los seus fiéis discípulos e continuadores de sua obra no mundo. Um dos Doze, “aquele que o entregou”, não compreendeu o projeto de Jesus e se tornou seu adversário.

Oração
Ó Jesus, enviado do Pai, chamas os que queres para serem teus apóstolos. De origens e culturas diferentes, eles frequentarão tua escola, em que vão conhecer e viver a novidade do Reino de Deus. Depois, darão continuidade à tua obra libertadora. Aumenta, Senhor, o número dos teus eleitos. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITUGIA-23 DE JANEIRO QUINTA FEIRA

Posted on

2ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Que toda a terra se prostre diante de vós, ó Deus, e cante louvores ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 65,4)

Jesus é procurado e seguido pelas multidões, que tomam conhecimento de sua ação. Hoje, ele continua a apresentar a nós, o seu povo, a mensagem que liberta de toda espécie de mal.

Primeira Leitura: 1 Samuel 18,6-9; 19,1-7

 

Leitura do primeiro livro de Samuel – Naqueles dias, 6quando Davi voltou, depois de ter matado o filisteu, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram ao encontro do rei Saul, dançando e cantando alegremente ao som de tamborins e címbalos. 7E, enquanto dançavam, diziam em coro: “Saul matou mil, mas Davi matou dez mil”. 8Saul ficou muito encolerizado com isso e não gostou nada da canção, dizendo: “A Davi deram dez mil e a mim somente mil. Que lhe falta ainda, senão a realeza?” 9E, a partir daquele dia, não olhou mais para Davi com bons olhos. 19,1Saul falou a Jônatas, seu filho, e a todos os seus servos sobre sua intenção de matar Davi. Mas Jônatas, filho de Saul, amava profundamente Davi 2e preveniu-o a respeito disso, dizendo: “Saul, meu pai, procura matar-te; portanto, toma cuidado amanhã de manhã e fica oculto em um esconderijo. 3Eu mesmo sairei em companhia de meu pai, no campo, onde estiveres, e lhe falarei de ti, para ver o que ele diz, e depois te avisarei de tudo o que eu souber”. 4Então Jônatas falou bem de Davi a Saul, seu pai, e acrescentou: “Não faças mal algum ao teu servo Davi, porque ele nunca te ofendeu. Ao contrário, o que ele tem feito foi muito proveitoso para ti. 5Arriscou a sua vida, matando o filisteu, e o Senhor deu uma grande vitória a todo Israel. Tu mesmo foste testemunha e te alegraste. Por que, então, pecarias, derramando sangue inocente e mandando matar Davi sem motivo?” 6Saul, ouvindo isso e aplacado com as razões de Jônatas, jurou: “Pela vida do Senhor, ele não será morto!” 7Então Jônatas chamou Davi e contou-lhe tudo isso. Levou-o em seguida a Saul, para que ele retomasse o seu lugar, como antes. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 55(56)

 

É no Senhor que eu confio e nada temo.

1. Tende pena e compaixão de mim, ó Deus, † pois há tantos que me calcam sob os pés, / e agressores me oprimem todo dia! / Meus inimigos de contínuo me espezinham, / são numerosos os que lutam contra mim! – R.
2. Do meu exílio registrastes cada passo, † em vosso odre recolhestes cada lágrima / e anotastes tudo isso em vosso livro. / Meus inimigos haverão de recuar † em qualquer dia em que eu vos invocar; / tenho certeza: o Senhor está comigo! – R.
3. Confio em Deus e louvarei sua promessa. † É no Senhor que eu confio e nada temo: / que poderia contra mim um ser mortal? / Devo cumprir, ó Deus, os votos que vos fiz / e vos oferto um sacrifício de louvor. – R.

Evangelho: Marcos 3,7-12

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Jesus Cristo salvador destruiu o mal e a morte; / fez brilhar pelo evangelho a luz e a vida imperecíveis (2Tm 1,10). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 7Jesus se retirou para a beira do mar junto com seus discípulos. Muita gente da Galileia o seguia. 8E também muita gente da Judeia, de Jerusalém, da Idumeia, do outro lado do Jordão, dos territórios de Tiro e Sidônia foi até Jesus, porque tinham ouvido falar de tudo o que ele fazia. 9Então Jesus pediu aos discípulos que lhe providenciassem uma barca, por causa da multidão, para que não o comprimisse. 10Com efeito, Jesus tinha curado muitas pessoas, e todos os que sofriam de algum mal jogavam-se sobre ele para tocá-lo. 11Vendo Jesus, os espíritos maus caíam a seus pés, gritando: “Tu és o Filho de Deus!” 12Mas Jesus ordenava severamente para não dizerem quem ele era. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Como um fenômeno extraordinário, Jesus atrai multidões de toda a região. Vinham até ele motivadas por “todas as coisas que ele fazia”. O que fazia? Anunciava a Boa-Nova do Reino, curava os doentes, expulsava os demônios, perdoava pecados. Enfim, trazia a todos a tão esperada libertação. Começava novo tempo em que o Messias assumia a situação do povo oprimido, ouvia suas queixas, acolhia seus anseios de vida plena. E se colocava em defesa dos empobrecidos e marginalizados. Até os seus adversários o reconheciam como “Filho de Deus”. Jesus, porém, recomendava que “não divulgassem quem ele era”, já que não veio para competir com os chefes do povo, nem para tomar o lugar deles. Lutava, na verdade, para que toda a sociedade fosse alicerçada na prática da justiça e da fraternidade.

Oração
Jesus, Filho de Deus, provocas extraordinária movimentação ao teu redor. É que, de todas as partes, “ao saber de todas as coisas” que fazes, multidões vêm ao teu encontro. Só benefício oferecido ao povo sedento de tua palavra e de tuas curas! A todos atendes com total dedicação. Amém.

Fonte:paulas.com.br

LITUGIA-22 DE JANEIRO QUARTA FEIRA

Posted on

2ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Que toda a terra se prostre diante de vós, ó Deus, e cante louvores ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 65,4)

A Eucaristia fortaleça nossa fidelidade a Deus, a confiança nele e a disposição para cumprir sua vontade. Assim poderemos vencer as adversidades e as mentalidades que produzem o mal e a morte no mundo.

Primeira Leitura: 1 Samuel 17,32-33.37.40-51

 

Leitura do primeiro livro de Samuel – Naqueles dias, 32Davi foi conduzido a Saul e lhe disse: “Ninguém desanime por causa desse filisteu! Eu, teu servo, lutarei contra ele”. 33Mas Saul ponderou: “Não poderás enfrentar esse filisteu, pois tu és só ainda um jovem e ele é um homem de guerra desde a sua mocidade”. 37Davi respondeu: “O Senhor me livrou das garras do leão e das garras do urso. Ele me salvará também das mãos desse filisteu”. Então Saul disse a Davi: “Vai, e que o Senhor esteja contigo”. 40Em seguida, tomou o seu cajado, escolheu no regato cinco pedras bem lisas e colocou-as no seu alforje de pastor, que lhe servia de bolsa para guardar pedras. Depois, com a sua funda na mão, avançou contra o filisteu. 41Este, que se vinha aproximando mais e mais, precedido do seu escudeiro, 42quando pôde ver bem Davi, desprezou-o, porque era muito jovem, ruivo e de bela aparência. 43E lhe disse: “Sou por acaso um cão, para vires a mim com um cajado?” E o filisteu amaldiçoou Davi em nome de seus deuses. 44E acrescentou: “Vem, e eu darei a tua carne às aves do céu e aos animais da terra!” 45Davi respondeu: “Tu vens a mim com espada, lança e escudo; eu, porém, vou a ti em nome do Senhor todo-poderoso, o Deus dos exércitos de Israel, que tu insultaste! 46Hoje mesmo o Senhor te entregará em minhas mãos, e te abaterei e te cortarei a cabeça, e darei o teu cadáver e os cadáveres do exército dos filisteus às aves do céu e aos animais da terra, para que toda a terra saiba que há um Deus em Israel. 47E toda esta multidão de homens conhecerá que não é pela espada nem pela lança que o Senhor concede a vitória; porque o Senhor é o árbitro da guerra, e ele vos entregará em nossas mãos”. 48Logo que o filisteu avançou e marchou em direção a Davi, este saiu das linhas de formação e correu ao encontro do filisteu. 49Davi meteu, então, a mão no alforje, apanhou uma pedra e arremessou-a com a funda, atingindo o filisteu na fronte com tanta força, que a pedra se encravou na sua testa e o gigante tombou com o rosto em terra. 50E assim Davi venceu o filisteu, ferindo-o de morte com uma funda e uma pedra. E, como não tinha espada na mão, 51correu para o filisteu, chegou junto dele, arrancou-lhe a espada da bainha e acabou de matá-lo, cortando-lhe a cabeça. Vendo morto o seu guerreiro mais valente, os filisteus fugiram. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 143(144)

 

Bendito seja o Senhor, meu rochedo!

1. Bendito seja o Senhor, meu rochedo, † que adestrou minhas mãos para a luta / e os meus dedos treinou para a guerra! – R.
2. Ele é meu amor, meu refúgio, / libertador, fortaleza e abrigo; / é meu escudo: é nele que espero, / ele submete as nações a meus pés. – R.
3. Um canto novo, meu Deus, vou cantar-vos, / nas dez cordas da harpa louvar-vos, / a vós que dais a vitória aos reis / e salvais vosso servo Davi. – R.

Evangelho: Marcos 3,1-6

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Jesus pregava a Boa-nova, o Reino anunciando, / e curava toda espécie de doenças entre o povo (Mt 4,23). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 1Jesus entrou de novo na sinagoga. Havia ali um homem com a mão seca. 2Alguns o observavam para ver se haveria de curar em dia de sábado, para poderem acusá-lo. 3Jesus disse ao homem da mão seca: “Levanta-te e fica aqui no meio!” 4E perguntou-lhes: “É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal? Salvar uma vida ou deixá-la morrer?” Mas eles nada disseram. 5Jesus, então, olhou ao seu redor cheio de ira e tristeza, porque eram duros de coração, e disse ao homem: “Estende a mão”. Ele a estendeu e a mão ficou curada. 6Ao saírem, os fariseus com os partidários de Herodes imediatamente tramaram, contra Jesus, a maneira como haveriam de matá-lo. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Na sinagoga, outro conflito entre os fariseus e Jesus. Aferrados à observância do sábado, eles têm visão curta para a realidade e são insensíveis às necessidades das pessoas. No caso, um homem com mão paralisada. Jesus dispara uma pergunta tão adequada, que a assembleia emudece: “É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal? Salvar uma vida ou matar?”. A resposta é óbvia, mas os fariseus não querem se comprometer. Calam-se, mas no seu interior tramam a eliminação de Jesus, que tem boas razões para ficar indignado: “por causa da dureza do coração deles”. Não beneficiam o ser humano enquanto estão apegados a uma lei caduca, desumana. Não querem deixar livre um pregador que defende a pessoa, libertando-a das opressões ideológicas e sociais.

Oração
Ó Jesus Libertador, num sábado curas um homem com a mão paralisada, e ele exulta por poder voltar ao trabalho. No entanto, fariseus e herodianos, escravos da letra da Lei, não se alegram com essa libertação; ao contrário, tramam tua morte. Livra-nos, Senhor, de pessoas mal intencionadas. Amém.

Fonte:acidigital.com.br

LITUGIA-21 DE JANEIRO TERÇA FEIRA

Posted on

 

SANTA INÊS

VIRGEM E MÁRTIR

(vermelho, pref. comum ou dos santos, pág. 7 – ofício da memória)

Esta é uma virgem sábia, do número das prudentes, que foi ao encontro de Cristo com sua lâmpada acesa.

Inês, que viveu em Roma em fins do século 3º e início do 4º, é exemplo de adolescente convicta dos valores cristãos. Desde cedo decidiu consagrar a vida a Deus, rejeitando os pretendentes mesmo diante de promessas e presentes. Martirizada aos 13 anos, tem seu nome lembrado no Cânon Romano. Celebrando sua memória, rezemos por todos os cristãos perseguidos.

Primeira Leitura: 1 Samuel 16,1-13

 

Leitura do primeiro livro de Samuel – Naqueles dias, 1o Senhor disse a Samuel: “Até quando ficarás chorando por causa de Saul se eu mesmo o rejeitei para que não reine mais sobre Israel? Enche o chifre de óleo e vem, para que eu te envie à casa de Jessé de Belém, pois escolhi um rei para mim entre os seus filhos”. 2Samuel ponderou: “Como posso ir? Se Saul o souber, vai-me matar”. O Senhor respondeu: “Tomarás contigo uma novilha da manada e dirás: ‘Vim para oferecer um sacrifício ao Senhor’. 3Convidarás Jessé para o sacrifício. Eu te mostrarei o que deves fazer, e tu ungirás a quem eu te designar”. 4Samuel fez o que o Senhor lhe disse e foi a Belém. Os anciãos da cidade vieram-lhe ao encontro e perguntaram: “É de paz a tua vinda?” 5“Sim, é de paz”, respondeu Samuel. “Vim para fazer um sacrifício ao Senhor. Purificai-vos e vinde comigo, para que eu ofereça a vítima”. Ele purificou então Jessé e seus filhos e convidou-os para o sacrifício. 6Assim que chegaram, Samuel viu a Eliab e disse consigo: “Certamente é este o ungido do Senhor!” 7Mas o Senhor disse-lhe: “Não olhes para a sua aparência nem para a sua grande estatura, porque eu o rejeitei. Não julgo segundo os critérios do homem: o homem vê as aparências, mas o Senhor olha o coração”. 8Então Jessé chamou Abinadab e apresentou-o a Samuel, que disse: “Também não é este que o Senhor escolheu”. 9Jessé trouxe-lhe depois Sama, e Samuel disse: “A este tampouco o Senhor escolheu”. 10Jessé fez vir seus sete filhos à presença de Samuel, mas Samuel disse: “O Senhor não escolheu a nenhum deles”. 11E acrescentou: “Estão aqui todos os teus filhos?” Jessé respondeu: “Resta ainda o mais novo, que está apascentando as ovelhas”. E Samuel ordenou a Jessé: “Manda buscá-lo, pois não nos sentaremos à mesa enquanto ele não chegar”. 12Jessé mandou buscá-lo. Era ruivo, de belos olhos e de formosa aparência. E o Senhor disse: “Levanta-te, unge-o: é este!” 13Samuel tomou o chifre com óleo e ungiu Davi na presença de seus irmãos. E a partir daquele dia o espírito do Senhor se apoderou de Davi. A seguir, Samuel se pôs a caminho e voltou para Ramá. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 88(89)

 

Encontrei e escolhi a Davi, meu servidor.

1. Outrora vós falastes em visões a vossos santos: † “Coloquei uma coroa na cabeça de um herói / e do meio deste povo escolhi o meu eleito. – R.
2. Encontrei e escolhi a Davi, meu servidor, / e o ungi, para ser rei, com meu óleo consagrado. / Estará sempre com ele minha mão onipotente, / e meu braço poderoso há de ser a sua força. – R.
3. Ele, então, me invocará: ‘Ó Senhor, vós sois meu Pai, / sois meu Deus, sois meu rochedo onde encontro a salvação!’ / E por isso farei dele o meu filho primogênito, / sobre os reis de toda a terra farei dele o rei altíssimo”. – R.

Evangelho: Marcos 2,23-28

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Que o Pai do Senhor Jesus Cristo / vos dê do saber o Espírito, / para que conheçais a esperança / reservada para vós como herança! (Ef 1,17s) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – 23Jesus estava passando por uns campos de trigo em dia de sábado. Seus discípulos começaram a arrancar espigas, enquanto caminhavam. 24Então os fariseus disseram a Jesus: “Olha! Por que eles fazem em dia de sábado o que não é permitido?” 25Jesus lhes disse: “Por acaso, nunca lestes o que Davi e seus companheiros fizeram quando passaram necessidade e tiveram fome? 26Como ele entrou na casa de Deus, no tempo em que Abiatar era sumo sacerdote, comeu os pães oferecidos a Deus e os deu também aos seus companheiros? No entanto, só aos sacerdotes é permitido comer esses pães”. 27E acrescentou: “O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado. 28Portanto, o Filho do homem é senhor também do sábado”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Os discípulos de Jesus estão simplesmente colhendo algumas espigas para matar a fome, em dia de sábado. Isso era permitido (cf. Dt 23,25). Proibido era fazer colheita (passar a foice) na plantação alheia (cf. Dt 23,26). Os fariseus, no entanto, usando de má intenção e tentando confundir o Mestre, acusam os discípulos dele de violação da lei sabática. Rápido no raciocínio, Jesus rebate a crítica dos fariseus mostrando que o grande líder deles, Davi, alimentou a si e seus companheiros com o pão sagrado, que era reservado aos sacerdotes. Isto é, Davi se permitiu agir acima da lei para sanar uma necessidade legítima dele e dos companheiros. Jesus deixa claro que a lei existe para beneficiar o ser humano. E revela também que ele mesmo é maior do que Davi, que eles tanto prezavam.

Oração
Ó Jesus, “Filho do Homem”, os fariseus acusam teus discípulos de fazerem colheita no dia reservado ao descanso e ao culto divino. A realidade é que teus discípulos não estavam trabalhando, apenas matavam a fome. Então, apoiado na Escritura, e “Senhor até do sábado”, rebates teus malévolos adversários. Amém

Fonte:paulus.com.br