Santuário Astorga

Liturgia diária

LITURGIA-21 DE FEVERO SEXTA FEIRA

Posted on

6ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Sede o rochedo que me abriga, a casa bem defendida que me salva. Sois minha fortaleza e minha rocha; para honra do vosso nome, vós me conduzis e alimentais (Sl 30,3s).

A salvação é resultado da fé como dom e das obras como empenho de vida. Celebremos a fé que nos torna capazes de gastar a vida em favor dos outros e seguir os passos de Jesus no caminho do evangelho.

Primeira Leitura: Tiago 2,14-24.26

 

Leitura da carta de são Tiago – 14Meus irmãos, que adianta alguém dizer que tem fé quando não a põe em prática? A fé seria então capaz de salvá-lo? 15Imaginai que um irmão ou uma irmã não têm o que vestir e que lhes falta a comida de cada dia; 16se então alguém de vós lhes disser: “Ide em paz, aquecei-vos” e “comei à vontade”, sem lhes dar o necessário para o corpo, que adiantará isso? 17Assim também a fé: se não se traduz em obras, por si só está morta. 18Em compensação, alguém poderá dizer: “Tu tens a fé e eu tenho a prática!” Tu, mostra-me a tua fé sem as obras, que eu te mostrarei a minha fé pelas obras! 19Tu crês que há um só Deus? Fazes bem! Mas também os demônios creem isso e estremecem. 20Queres então saber, homem insensato, como a fé sem a prática é vã? 21O nosso pai Abraão foi declarado justo: não será por causa de sua prática, até a ponto de oferecer seu filho Isaac sobre o altar? 22Como estás vendo, a fé concorreu para as obras, e, graças às obras, a fé tornou-se completa. 23Foi assim que se cumpriu a Escritura que diz: “Abraão teve fé em Deus, e isso lhe foi levado em conta de justiça”, e ele foi chamado amigo de Deus. 24Estais vendo, pois, que o homem é justificado pelas obras e não simplesmente pela fé. 26Assim como o corpo sem o espírito é morto, assim também a fé, sem as obras, é morta. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 111(112)

 

Feliz é todo aquele / que ama com carinho a lei do Senhor Deus.

1. Feliz o homem que respeita o Senhor / e que ama com carinho a sua lei! / Sua descendência será forte sobre a terra, / abençoada a geração dos homens retos! – R.
2. Haverá glória e riqueza em sua casa, / e permanece para sempre o bem que fez. / Ele é correto, generoso e compassivo, / como luz brilha nas trevas para os justos. – R.
3. Feliz o homem caridoso e prestativo, / que resolve seus negócios com justiça. / Porque jamais vacilará o homem reto, / sua lembrança permanece eternamente! – R.

Evangelho: Marcos 8,34-9,1

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Eu vos chamo meus amigos, / pois vos dei a conhecer o que o Pai me revelou (Jo 15,15). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 34chamou Jesus a multidão com seus discípulos e disse: “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. 35Pois quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la; mas quem perder a sua vida por causa de mim e do evangelho vai salvá-la. 36Com efeito, de que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro se perde a própria vida? 37E o que poderia o homem dar em troca da própria vida? 38Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras diante dessa geração adúltera e pecadora, também o Filho do homem se envergonhará dele quando vier na glória do seu Pai com seus santos anjos”. 9,1Disse-lhes Jesus: “Em verdade vos digo, alguns dos que aqui estão não morrerão sem antes terem visto o reino de Deus chegar com poder”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Jesus reúne a multidão e seus discípulos para explicar-lhes em que consiste segui-lo. Salienta dois aspectos: renunciar a si mesmo e tomar a própria cruz. Renunciar a si mesmo implica pôr freio a toda ambição de poder e glória humana. A sociedade injusta está repleta desses desvios. Carregar a própria cruz é tomar nas mãos a própria vida e aplicá-la a serviço do Reino de Deus. Quem o faz sabe que encontrará tribulações de toda espécie. Jesus já havia predito: “Se perseguiram a mim, vão perseguir a vocês também” (Jo 15,20). O Mestre quer discípulos e discípulas de vontade férrea, que se deixam conduzir pelo Espírito. Pessoas com tais valores e convicções é que formarão o núcleo do Reino, cuja presença muitos ouvintes de Jesus testemunharam. Os “Atos dos Apóstolos” o comprovam.

Oração
Ó Jesus, “Filho do Homem”, tu nos convidas e congregas não para entreter-nos com historinhas de ficção. Teu projeto empenha a tua vida a ponto de entregá-la na cruz. E pedes que te sigamos pelo mesmo caminho, e estejamos dispostos a dar nossa vida por ti e pelo evangelho. Amém

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-20 DE FEVERERO QUINTA FEIRA

Posted on

6ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Sede o rochedo que me abriga, a casa bem defendida que me salva. Sois minha fortaleza e minha rocha; para honra do vosso nome, vós me conduzis e alimentais (Sl 30,3s).

A fé em Jesus leva a Igreja a anunciá-lo como o Cristo salvador e a impulsiona a fazer opção pelos pobres. Esta liturgia nos motive a sempre exaltar o nome do Senhor.

Primeira Leitura: Tiago 2,1-9

 

Leitura da carta de são Tiago – 1Meus irmãos, a fé que tendes em nosso Senhor Jesus Cristo glorificado não deve admitir acepção de pessoas. 2Pois bem, imaginai que na vossa reunião entra uma pessoa com anel de ouro no dedo e bem vestida e também um pobre, com sua roupa surrada, 3e vós dedicais atenção ao que está bem vestido, dizendo-lhe: “Vem sentar-te aqui, à vontade”, enquanto dizeis ao pobre: “Fica aí, de pé”, ou então: “Senta-te aqui no chão, aos meus pés” – 4não fizestes, então, discriminação entre vós? E não vos tornastes juízes com critérios injustos? 5Meus queridos irmãos, escutai: não escolheu Deus os pobres deste mundo para serem ricos na fé e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam? 6Mas vós desprezais o pobre! Ora, não são os ricos que vos oprimem e vos arrastam aos tribunais? 7Não são eles que blasfemam contra o nome sublime invocado sobre vós? 8Entretanto, se cumpris a lei régia, conforme a Escritura: Amai vosso próximo como a vós mesmo, estais agindo bem. 9Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado e a lei vos acusa como transgressores. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 33(34)

 

Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido.

1. Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, / seu louvor estará sempre em minha boca. / Minha alma se gloria no Senhor; / que ouçam os humildes e se alegrem! – R.
2. Comigo engrandecei ao Senhor Deus, / exaltemos todos juntos o seu nome! / Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu / e de todos os temores me livrou. – R.
3. Contemplai a sua face e alegrai-vos, / e vosso rosto não se cubra de vergonha! / Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido, / e o Senhor o libertou de toda angústia. – R.

Evangelho: Marcos 8,27-33

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Senhor, tuas palavras são espírito, são vida; / só tu tens palavras de vida eterna! (Jo 6,63.68) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 27Jesus partiu com seus discípulos para os povoados de Cesareia de Filipe. No caminho perguntou aos discípulos: “Quem dizem os homens que eu sou?” 28Eles responderam: “Alguns dizem que tu és João Batista; outros, que és Elias; outros, ainda, que és um dos profetas”. 29Então ele perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “Tu és o Messias”. 30Jesus proibiu-lhes severamente de falar a alguém a seu respeito. 31Em seguida, começou a ensiná-los, dizendo que o Filho do homem devia sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da lei, devia ser morto e ressuscitar depois de três dias. 32Ele dizia isso abertamente. Então Pedro tomou Jesus à parte e começou a repreendê-lo. 33Jesus voltou-se, olhou para os discípulos e repreendeu a Pedro, dizendo: “Vai para longe de mim, satanás! Tu não pensas como Deus, e sim como os homens”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

A partir deste ponto do Evangelho de Marcos, Jesus dedica maior empenho à formação dos seus discípulos. Começa com uma pesquisa sobre sua própria pessoa e fica satisfeito com a resposta dos discípulos, pela boca de Pedro: “Tu és o Messias”. Correto. Jesus é o Messias, não um simples profeta. Por que, então, ele recomenda vivamente que “não falassem com ninguém a respeito dele”? Porque Jesus deverá esclarecer em que sentido ele é o Messias: sentido bem distante das expectativas do povo e dos próprios discípulos. De fato, em muitas ocasiões, os discípulos se mostram inseguros no seguimento ao Mestre. A começar por Pedro, que se revolta com o primeiro anúncio da Paixão e da Morte. A fé só começa de fato quando reconhecem não só o Cristo dos milagres, mas também o Cristo da cruz.

Oração
Ó Jesus, “Filho do Homem”, falas abertamente a teus discípulos sobre o fim que te aguarda em Jerusalém, onde serás condenado e morto. Pedro tenta desviar-te desse desfecho, mas tu o confirmas. Para ele e para nós é dificultoso admitir que tu, nosso Líder, caminhas para a cruz. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-19 DE FEVERERO QUARTA FEIRA

Posted on

6ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Sede o rochedo que me abriga, a casa bem defendida que me salva. Sois minha fortaleza e minha rocha; para honra do vosso nome, vós me conduzis e alimentais (Sl 30,3s).

Deixemo-nos tocar por Jesus nesta liturgia, a fim de que enxerguemos as realidades da vida com nitidez e realismo. Celebremos o Deus que nos ensina a vivência da verdadeira religião.

Primeira Leitura: Tiago 1,19-27

 

Leitura da carta de são Tiago – 19Meus queridos irmãos, sabei que todo homem deve ser pronto para ouvir, mas moroso para falar e moroso para se irritar. 20Pois a cólera do homem não é capaz de realizar a justiça de Deus. 21Por essa razão, rejeitai toda impureza e todos os excessos do mal, mas recebei com humildade a Palavra que em vós foi implantada e que é capaz de salvar as vossas almas. 22Todavia, sede praticantes da Palavra e não meros ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. 23Com efeito, aquele que ouve a Palavra e não a põe em prática é semelhante a uma pessoa que observa o seu rosto no espelho: 24apenas se observou, vai-se embora e logo esquece como era a sua aparência. 25Aquele, porém, que se debruça sobre a lei da liberdade, agora levada à perfeição, e nela persevera, não como um ouvinte distraído, mas praticando o que ela ordena, esse será feliz naquilo que faz. 26Se alguém julga ser religioso e não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo: a sua religião é vã. 27Com efeito, a religião pura e sem mancha diante de Deus Pai é esta: assistir os órfãos e as viúvas em suas tribulações e não se deixar contaminar pelo mundo. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 14(15)

 

Senhor, quem morará em vosso monte santo?

1. É aquele que caminha sem pecado / e pratica a justiça fielmente; / que pensa a verdade no seu íntimo / e não solta em calúnias sua língua. – R.
2. Que em nada prejudica o seu irmão / nem cobre de insultos seu vizinho; / que não dá valor algum ao homem ímpio, / mas honra os que respeitam o Senhor. – R.
3. Não empresta o seu dinheiro com usura † nem se deixa subornar contra o inocente. / Jamais vacilará quem vive assim! – R.

Evangelho: Marcos 8,22-26

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Que o Pai do Senhor Jesus Cristo / vos dê do saber o espírito; / para que conheçais a esperança, / reservada para vós como herança! (Ef 1,17s) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 22Jesus e seus discípulos chegaram a Betsaida. Algumas pessoas trouxeram-lhe um cego e pediram a Jesus que tocasse nele. 23Jesus pegou o cego pela mão, levou-o para fora do povoado, cuspiu nos olhos dele, colocou as mãos sobre ele e perguntou: “Estás vendo alguma coisa?” 24O homem levantou os olhos e disse: “Estou vendo os homens. Eles parecem árvores que andam”. 25Então Jesus colocou de novo as mãos sobre os olhos dele e ele passou a enxergar claramente. Ficou curado e enxergava todas as coisas com nitidez. 26Jesus mandou o homem ir para casa e lhe disse: “Não entres no povoado!” – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

O cego representa os discípulos de Jesus. Eles ainda não entenderam o messianismo de Jesus, que prega a igualdade de todos os povos. A cura se dá em dois momentos. Primeiramente, Jesus usa a saliva e a imposição das mãos. O homem vê de modo confuso. É a própria situação dos discípulos, que não compreendem quem é Jesus e qual é o seu projeto. Depois, Jesus impõe outra vez as mãos sobre os olhos do cego; então ele passa a ver claramente. Os discípulos precisam de mais um toque do Mestre para completar sua formação. A abundância de gestos mostra a dificuldade para curar. Algum tipo de cegueira não física requer empenho para curar. Voltar ao vilarejo significa voltar à cegueira de antes, isto é, ao ambiente judaico nacionalista, que prega a superioridade dos judeus sobre os outros povos.

Oração
Ó Jesus Messias, mediante um processo lento, realizas a cura deste cego, que representa teus discípulos, e todo o povo. Eles pensam num Messias nacionalista e no triunfo de Israel, enquanto o verdadeiro significado do teu messianismo consiste na total entrega de tua vida em favor da humanidade. Amém.

Fonte :paulus.com.br

LITURGIA-18 DE FEVERERO TERÇA FEIRA

Posted on

6ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Sede o rochedo que me abriga, a casa bem defendida que me salva. Sois minha fortaleza e minha rocha; para honra do vosso nome, vós me conduzis e alimentais (Sl 30,3s).

Deus não é tentado nem tenta a ninguém. Nós, no entanto, às vezes cedemos às tentações. O Senhor nos conceda a força necessária para superá-las e nos ajude a compreender melhor a pessoa de seu Filho.

Primeira Leitura: Tiago 1,12-18

 

Leitura da carta de são Tiago – 12Feliz o homem que suporta a provação. Porque, uma vez provado, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu àqueles que o amam. 13Ninguém, ao ser tentado, deve dizer: “É Deus que me está tentando”, pois Deus não pode ser tentado pelo mal e tampouco ele tenta a ninguém. 14Antes, cada qual é tentado por sua própria concupiscência, que o arrasta e seduz. 15Em seguida, a concupiscência concebe o pecado e o dá à luz, e o pecado, uma vez consumado, gera a morte. 16Meus queridos irmãos, não vos enganeis. 17Todo dom precioso e toda dádiva perfeita vêm do alto; descem do Pai das luzes, no qual não há mudança nem sombra de variação. 18De livre vontade ele nos gerou, pela Palavra da verdade, a fim de sermos como que as primícias de suas criaturas. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 93(94)

 

Bem-aventurado é aquele a quem ensinais vossa lei!

1. É feliz, ó Senhor, quem formais † e educais nos caminhos da lei, / para dar-lhe um alívio na angústia. – R.
2. O Senhor não rejeita o seu povo / e não pode esquecer sua herança: / voltarão a juízo as sentenças; / quem é reto andará na justiça. – R.
3. Quando eu penso: “Estou quase caindo!”, / vosso amor me sustenta, Senhor! / Quando o meu coração se angustia, / consolais e alegrais minha alma. – R.

Evangelho: Marcos 8,14-21

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Quem me ama, realmente, guardará minha palavra / e meu Pai o amará, e a ele nós viremos (Jo 14,2). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 14os discípulos tinham se esquecido de levar pães. Tinham consigo na barca apenas um pão. 15Então Jesus os advertiu: “Prestai atenção e tomai cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes”. 16Os discípulos diziam entre si: “É porque não temos pão”. 17Mas Jesus percebeu e perguntou-lhes: “Por que discutis sobre a falta de pão? Ainda não entendeis nem compreendeis? Vós tendes o coração endurecido? 18Tendo olhos, vós não vedes e, tendo ouvidos, não ouvis? Não vos lembrais 19de quando reparti cinco pães para cinco mil pessoas? Quantos cestos vós recolhestes cheios de pedaços?” Eles responderam: “Doze”. 20Jesus perguntou: “E quando reparti sete pães com quatro mil pessoas, quantos cestos vós recolhestes cheios de pedaços?” Eles responderam: “Sete”. 21Jesus disse: “E vós ainda não compreendeis?” – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Os fariseus exercem influência sobre o povo, ensinando-lhe uma ideologia nacionalista: querem, para Israel, um Messias poderoso, dominador das demais nações. Os herodianos (adeptos de Herodes) querem que Israel seja superior aos outros povos, aceitando, para isso, um rei prepotente (Herodes). É contra essa mentalidade que Jesus previne seus discípulos. Estes acompanham Jesus por toda parte e veem as obras grandiosas que ele realiza. Não obstante o privilégio de estar sempre ao lado do Mestre, seus discípulos ficam na superfície; “têm o coração endurecido”, como os fariseus. Daí a dura reprimenda de Jesus: “Vocês têm olhos e não enxergam, têm ouvidos e não escutam?”. Eles têm na barca apenas um pão (Jesus e sua mensagem), mas não o percebem. Não lhes falta nada.

Oração
Ó Jesus, pão descido do céu, teus discípulos ainda estão eufóricos com o grande sucesso da partilha dos pães. Mas não vieste para satisfazer gente curiosa, que se contenta com o espetáculo. Vieste para transformar cada pessoa por dentro e criar uma sociedade segundo os planos do Pai. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-17 DE FEVERERO SEGUNDA FEIRA

Posted on

6ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Sede o rochedo que me abriga, a casa bem defendida que me salva. Sois minha fortaleza e minha rocha; para honra do vosso nome, vós me conduzis e alimentais (Sl 30,3s).

Reunidos em comunidade, pedimos ao Senhor que, em vez de sinais, ele nos conceda seu amor e sua sabedoria, a fim de seguirmos seus preceitos e vivermos conforme sua vontade.

Primeira Leitura: Tiago 1,1-11

 

Início da carta de são Tiago – 1Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos que vivem na dispersão: saudações. 2Meus irmãos, quando deveis passar por diversas provações, considerai isso motivo de grande alegria, 3por saberdes que a comprovação da fé produz em vós a perseverança. 4Mas é preciso que a perseverança gere uma obra de perfeição, para que vos torneis perfeitos e íntegros, sem falta ou deficiência alguma. 5Se a alguém de vós falta sabedoria, peça-a a Deus, que a concede generosamente a todos, sem impor condições; e ela lhe será dada. 6Mas peça com fé, sem duvidar, porque aquele que duvida é semelhante a uma onda do mar, impelida e agitada pelo vento. 7Não pense tal pessoa que receberá alguma coisa do Senhor: 8o homem de duas almas é inconstante em todos os seus caminhos. 9O irmão humilde pode ufanar-se de sua exaltação, 10mas o rico deve gloriar-se de sua humilhação. Pois há de passar como a flor da erva. 11Com efeito, basta que surja o sol com o seu calor, logo seca a erva, cai a sua flor e desaparece a beleza do seu aspecto. Assim também acabará por murchar o rico no meio de seus negócios. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 118(119)

 

Venha a mim o vosso amor e viverei.

1. Antes de ser por vós provado, eu me perdera; / mas agora sigo firme em vossa lei! – R.
2. Porque sois bom e realizais somente o bem, / ensinai-me a fazer vossa vontade! – R.
3. Para mim foi muito bom ser humilhado, / porque assim eu aprendi vossa vontade! – R.
4. A lei de vossa boca, para mim, / vale mais do que milhões em ouro e prata. – R.
5. Sei que os vossos julgamentos são corretos / e com justiça me provastes, ó Senhor! – R.
6. Vosso amor seja um consolo para mim, / conforme a vosso servo prometestes. – R.

Evangelho: Marcos 8,11-13

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Sou o caminho, a verdade e a vida, / ninguém vem ao Pai, senão por mim (Jo 14,6). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 11os fariseus vieram e começaram a discutir com Jesus. E, para pô-lo à prova, pediam-lhe um sinal do céu. 12Mas Jesus deu um suspiro profundo e disse: “Por que esta gente pede um sinal? Em verdade vos digo, a esta gente não será dado nenhum sinal”. 13E, deixando-os, Jesus entrou de novo na barca e se dirigiu para a outra margem. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Os fariseus não dão trégua a Jesus. Parecem não ter outra ocupação, a não ser arrumar armadilha para ver o fracasso dele. Desta vez, levantam dúvidas sobre sua pessoa e obras. Jesus nunca se omite; fala abertamente em público; não economiza ensinamentos; reparte o pão para a multidão faminta; faz prodígios que despertam o entusiasmo e a admiração de grande número de pessoas. E chegam os fariseus com essa objeção deslocada, inconveniente, desnecessária: pedem a Jesus uma comprovação de sua autoridade; pedem-lhe um sinal do céu. Cegos, eles não admitem que o Messias é o maior sinal do céu. Diante de tamanha dureza de coração e arrogância, a Jesus resta apenas suspirar “profundamente em seu espírito” e partir para a outra margem. Inútil bater em ferro frio.

Oração
Ó Jesus Mestre, os fariseus te atormentam. Longe de se abrirem para receber e praticar a Boa-Nova que pregas, o que fazem é te pedir um sinal do céu. Não admitem que és o maior sinal vindo do céu. Não merecem tua resposta. É impossível alimentar a quem não abre a boca! Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-16 DE FEVERERO DOMINGO

Posted on

6º DO TEMPO COMUM

(verde, glória, creio – 2ª semana do saltério)

Sede o rochedo que me abriga, a casa bem defendida que me salva. Sois minha fortaleza e minha rocha; para honra do vosso nome, vós me conduzis e alimentais (Sl 30,3s).

Somos convidados pelo Senhor a seguir o caminho dos seus mandamentos, pois ao nosso alcance estão o bem e o mal, a felicidade e a infelicidade. Guiados pela sabedoria divina, queremos celebrar o mistério pascal de Jesus, aprendendo dele a viver a justiça do reino de Deus e a colaborar para seu pleno cumprimento entre nós.

Primeira Leitura: Eclesiástico 15,16-21

 

Leitura do livro do Eclesiástico – 16Se quiseres observar os mandamentos, eles te guardarão; se confias em Deus, tu também viverás. 17Diante de ti, ele colocou o fogo e a água; para o que quiseres, tu podes estender a mão. 18Diante do homem estão a vida e a morte, o bem e o mal; ele receberá aquilo que preferir. 19A sabedoria do Senhor é imensa, ele é forte e poderoso e tudo vê continuamente. 20Os olhos do Senhor estão voltados para os que o temem. Ele conhece todas as obras do homem. 21Não mandou a ninguém agir como ímpio e a ninguém deu licença de pecar. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 118(119)

 

Feliz o homem sem pecado em seu caminho, / que na lei do Senhor Deus vai progredindo!

1. Feliz o homem sem pecado em seu caminho, / que na lei do Senhor Deus vai progredindo! / Feliz o homem que observa seus preceitos / e de todo o coração procura a Deus! – R.
2. Os vossos mandamentos vós nos destes, / para serem fielmente observados. / Oxalá seja bem firme a minha vida / em cumprir vossa vontade e vossa lei! – R.
3. Sede bom com vosso servo, e viverei, / e guardarei vossa palavra, ó Senhor. / Abri meus olhos, e então contemplarei / as maravilhas que encerra a vossa lei! – R.
4. Ensinai-me a viver vossos preceitos; / quero guardá-los fielmente até o fim! / Dai-me o saber, e cumprirei a vossa lei, / e de todo o coração a guardarei. – R.

Segunda Leitura: 1 Coríntios 2,6-10

 

Leitura da primeira carta de são Paulo aos Coríntios – Irmãos, 6entre os perfeitos nós falamos de sabedoria, não da sabedoria deste mundo nem da sabedoria dos poderosos deste mundo, que, afinal, estão votados à destruição. 7Falamos, sim, da misteriosa sabedoria de Deus, sabedoria escondida que, desde a eternidade, Deus destinou para nossa glória. 8Nenhum dos poderosos deste mundo conheceu essa sabedoria. Pois, se a tivessem conhecido, não teriam crucificado o Senhor da glória. 9Mas, como está escrito, “o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu”. 10A nós Deus revelou esse mistério através do Espírito. Pois o Espírito esquadrinha tudo, mesmo as profundezas de Deus. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Mateus 5,17-37 ou 20-22.27-28.33-34.37

 

[A forma breve está entre colchetes.]

Aleluia, aleluia, aleluia.

Eu te louvo, ó Pai santo, Deus do céu, Senhor da terra: / os mistérios do teu reino aos pequenos, Pai, revelas (Mt 11,25). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – [Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:] 17“Não penseis que vim abolir a lei e os profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. 18Em verdade eu vos digo, antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei, sem que tudo se cumpra. 19Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo será considerado o menor no reino dos céus. Porém quem os praticar e ensinar será considerado grande no reino dos céus.
20Porque [eu vos digo, se a vossa justiça não for maior que a justiça dos mestres da lei e dos fariseus, vós não entrareis no reino dos céus. 21Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: ‘Não matarás! Quem matar será condenado pelo tribunal’. 22Eu, porém, vos digo, todo aquele que se encoleriza com seu irmão será réu em juízo;] quem disser ao seu irmão ‘patife!’ será condenado pelo tribunal; quem chamar o irmão de tolo será condenado ao fogo do inferno.  23Portanto, quando tu estiveres levando a tua oferta para o altar e aí te lembrares que teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24deixa a tua oferta aí diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão. Só então vai apresentar a tua oferta. 25Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto caminha contigo para o tribunal. Senão o adversário te entregará ao juiz, o juiz te entregará ao oficial de justiça, e tu serás jogado na prisão. 26Em verdade eu te digo, daí não sairás, enquanto não pagares o último centavo.
[27Ouvistes o que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. 28Eu, porém, vos digo, todo aquele que olhar para uma mulher com o desejo de possuí-la já cometeu adultério com ela no seu coração.]
29Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e joga-o para longe de ti! De fato, é melhor perder um de teus membros do que todo o teu corpo ser jogado no inferno. 30Se a tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e joga-a para longe de ti! De fato, é melhor perder um dos teus membros do que todo o teu corpo ir para o inferno. 31Foi dito também: ‘Quem se divorciar de sua mulher, dê-lhe uma certidão de divórcio’. 32Eu, porém, vos digo, todo aquele que se divorcia de sua mulher, a não ser por motivo de união irregular, faz com que ela se torne adúltera; e quem se casa com a mulher divorciada comete adultério.
[33Vós ouvistes também o que foi dito aos antigos: ‘Não jurarás falso’, mas ‘cumprirás os teus juramentos feitos ao Senhor’. 34Eu, porém, vos digo, não jureis de modo algum:] nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35nem pela terra, porque é o suporte onde apoia os seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande rei. 36Não jures tampouco pela tua cabeça, porque tu não podes tornar branco ou preto um só fio de cabelo. [37Seja o vosso ‘sim’ sim, e o vosso ‘não’ não. Tudo o que for além disso vem do maligno.] – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

O longo texto deste domingo faz parte do Sermão da Montanha, relatado por Mateus. Jesus começa se justificando, ao dizer que não veio abolir a “Lei e os Profetas”, mas mostrar o valor deles além da interpretação superficial ou ao pé da letra. O Mestre defende a Escritura, pois foi dada a Israel para ensinar o caminho da justiça, vista como cumprimento da vontade de Deus. Nos quatro exemplos apresentados, Jesus mostra o jeito correto de interpretar o “espírito da lei”. “Não matar” não significa apenas não derramar o sangue; esse mandamento propõe o compromisso com a defesa da vida de toda pessoa. “Não cometer adultério”: Jesus o condena e convida a extirpar o mal pela raiz. A justiça do Reino propõe fidelidade mútua e direitos e deveres iguais entre marido e mulher. A respeito do divórcio, só os homens podiam decretá-lo, e a mulher era um joguete nas mãos do marido. A proposta de Jesus é que haja total transparência e honestidade entre marido e mulher. Os juramentos não garantem relações baseadas na verdade e na confiança. Pessoa sincera dispensa juramentos.

Oração
Ó Jesus, fiel cumpridor da vontade do Pai, tu nos pedes um salto de qualidade na observância da Lei de Deus. Na verdade, queres que nosso relacionamento humano passe pelo filtro da justiça e da misericórdia. Concede-nos, Senhor, viver segundo teus ensinamentos e modo de vida. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-15 DE FEVERERO SABADO

Posted on

5ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Entrai, inclinai-vos e prostrai-vos: adoremos o Senhor que nos criou, pois ele é o nosso Deus (Sl 94,6s).

A idolatria, em suas várias formas, favorece a degradação e a desunião e a quebra do compromisso com a caridade, a partilha e a solidariedade, provocando miséria e fome.

Primeira Leitura: 1 Reis 12,26-32; 13,33-34

 

Leitura do primeiro livro dos Reis – Naqueles dias, 26Jeroboão refletiu consigo mesmo: “Como estão as coisas, o reino vai voltar à casa de Davi. 27Se este povo continuar a subir ao templo do Senhor em Jerusalém para oferecer sacrifícios, seu coração se voltará para o seu soberano, Roboão, rei de Judá; eles me matarão e se voltarão para Roboão, rei de Judá”. 28Depois de ter refletido bem, o rei fez dois bezerros de ouro e disse ao povo: “Não subais mais a Jerusalém! Eis aqui, Israel, os deuses que te tiraram da terra do Egito”. 29Colocou um bezerro em Betel e outro em Dã. 30Isto foi ocasião de pecado, pois o povo ia em procissão até Dã para adorar um dos bezerros. 31Jeroboão construiu também templos sobre lugares altos e designou como sacerdotes homens tirados do povo, que não eram filhos de Levi. 32E instituiu uma festa no dia quinze do oitavo mês, à semelhança da que era celebrada em Judá. E subiu ao altar. Fez a mesma coisa em Betel, para sacrificar aos bezerros que havia feito. E estabeleceu em Betel sacerdotes nos santuários que tinha construído nos lugares altos. 13,33Depois disso, Jeroboão não abandonou o seu mau caminho, mas continuou a tomar homens do meio do povo e a constituí-los sacerdotes dos santuários dos lugares altos. Todo aquele que queria era consagrado e se tornava sacerdote dos lugares altos. 34Esse modo de proceder fez cair em pecado a casa de Jeroboão e provocou a sua ruína e o seu extermínio da face da terra. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 105(106)

 

Lembrai-vos, ó Senhor, de mim, lembrai-vos, / segundo o amor que demonstrais ao vosso povo.

1. Pecamos como outrora nossos pais, / praticamos a maldade e fomos ímpios; / no Egito nossos pais não se importaram / com os vossos admiráveis grandes feitos. – R.
2. Construíram um bezerro no Horeb / e adoraram uma estátua de metal; / eles trocaram o seu Deus, que é sua glória, / pela imagem de um boi que come feno. – R.
3. Esqueceram-se do Deus que os salvara, / que fizera maravilhas no Egito; / no país de Cam fez tantas obras admiráveis, / no mar Vermelho, tantas coisas assombrosas. – R.

Evangelho: Marcos 8,1-10

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

O homem não vive somente de pão, / mas de toda palavra da boca de Deus (Mt 4,4). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – 1Naqueles dias, havia de novo uma grande multidão e não tinha o que comer. Jesus chamou os discípulos e disse: 2“Tenho compaixão dessa multidão, porque já faz três dias que está comigo e não tem nada para comer. 3Se eu os mandar para casa sem comer, vão desmaiar pelo caminho, porque muitos deles vieram de longe”. 4Os discípulos disseram: “Como poderia alguém saciá-los de pão aqui no deserto?” 5Jesus perguntou-lhes: “Quantos pães tendes?” Eles responderam: “Sete”. 6Jesus mandou que a multidão se sentasse no chão. Depois, pegou os sete pães e deu graças, partiu-os e ia dando aos seus discípulos, para que os distribuíssem. E eles os distribuíam ao povo. 7Tinham também alguns peixinhos. Depois de pronunciar a bênção sobre eles, mandou que os distribuíssem também. 8Comeram e ficaram satisfeitos, e recolheram sete cestos com os pedaços que sobraram. 9Eram quatro mil, mais ou menos. E Jesus os despediu. 10Subindo logo na barca com seus discípulos, Jesus foi para a região de Dalmanuta. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Do mesmo modo que Jesus partilhou pão e peixe com os judeus, agora o faz com os pagãos. Esse fato indica que o Messias estende sua obra de salvação não só a Israel, mas igualmente aos demais povos. Nenhum povo é superior a outro. Sentindo compaixão da multidão, Jesus se propõe saciar-lhe a fome. Promove, então, uma ação conjunta, que envolve a participação de todos (discípulos e multidão). Recolhe das pessoas o que podem oferecer. O número sete indica totalidade: colaboração de cada um para alimentar a todos. A partilha do pão é figura da eucaristia e expressão de amor e vida em favor de toda a humanidade. Não basta sentir compaixão pelos irmãos mais pobres; é preciso manifestar-lhes, com gestos concretos, nossa solidariedade.

Oração
Ó Jesus, incansável missionário do Reino, diante da multidão faminta, tua compaixão desencadeia uma solução imediata: abençoas e repartes os pães e os peixes que eles têm. E a maravilha acontece: todos ficam saciados e as sobras são recolhidas. Ensina-nos, Senhor, a repartir nossos dons. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-14 DE FEVERERO SEXTA FEIRA

Posted on

SANTOS CIRILO, monge, E METÓDIO, bispo

(branco, pref. comum ou dos pastores, pág. 7 – ofício da memória)

Como são belos sobre os montes os passos do que anuncia a paz, trazendo a boa-nova e proclamando a salvação (Is 52,7).

Irmãos de sangue e na fé, Cirilo e Metódio, nascidos no território da atual Grécia no século 9º, foram enviados em missão aos povos eslavos. Traduziram a Bíblia e os textos litúrgicos para a língua local, enfrentando toda sorte de provações. Celebrando a memória destes santos, rezemos pelo continente europeu, do qual, junto com são Bento, eles são os padroeiros.

Primeira Leitura: 1 Reis 11,29-32; 12,19

 

Leitura do primeiro livro dos Reis – 29Aconteceu, naquele tempo, que, tendo Jeroboão saído de Jerusalém, veio ao seu encontro o profeta Aías, de Silo, coberto com um manto novo. Os dois achavam-se sós no campo. 30Aías, tomando o manto novo que vestia, rasgou-o em doze pedaços 31e disse a Jeroboão: “Toma para ti dez pedaços. Pois assim fala o Senhor, Deus de Israel: Eis que vou arrancar o reino das mãos de Salomão e te darei dez tribos. 32Mas ele ficará com uma tribo, por consideração para com meu servo Davi e para com Jerusalém, cidade que escolhi dentre todas as tribos de Israel”. 12,19Israel rebelou-se contra a casa de Davi até o dia de hoje. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 80(81)

 

Ouve, meu povo, porque eu sou o teu Deus!

1. Em teu meio não exista um deus estranho, / nem adores a um deus desconhecido! / Porque eu sou o teu Deus e teu Senhor, / que da terra do Egito te arranquei. – R.
2. Mas meu povo não ouviu a minha voz, / Israel não quis saber de obedecer-me. / Deixei, então, que eles seguissem seus caprichos, / abandonei-os ao seu duro coração. – R.
3. Quem me dera que meu povo me escutasse! / Que Israel andasse sempre em meus caminhos! / Seus inimigos, sem demora, humilharia / e voltaria minha mão contra o opressor. – R.

Evangelho: Marcos 7,31-37

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Abri-nos, ó Senhor, o coração / para ouvirmos a palavra de Jesus! (At 16,14) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 31Jesus saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da Galileia, atravessando a região da Decápole. 32Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão. 33Jesus afastou-se com o homem para fora da multidão; em seguida, colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e, com a saliva, tocou a língua dele. 34Olhando para o céu, suspirou e disse: “Efatá!”, que quer dizer: “Abre-te!” 35Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade. 36Jesus recomendou com insistência que não contassem a ninguém. Mas, quanto mais ele recomendava, mais eles divulgavam. 37Muito impressionados, diziam: “Ele tem feito bem todas as coisas: aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Na linguagem dos profetas, surdez e cegueira simbolizam incompreensão e resistência à mensagem de Deus. Neste episódio, a surdez pode significar o obstáculo que impede os discípulos de compreender os ensinamentos de Jesus. O falar com dificuldade (tartamudear) é impedimento ou limitação para anunciar a Palavra de Deus. Os discípulos de Jesus, na verdade, continuam mantendo a mentalidade de que os judeus eram superiores aos demais povos. Não aceitam que todos são iguais no Reino de Deus. Além disso, a cena vem carregada de simbolismo batismal. Com efeito, a pessoa batizada se torna nova criatura: Jesus lhe abre os ouvidos e solta-lhe a língua, para que ela escute, pratique e faça os outros conhecer a Palavra de Deus. Que importância atribuímos ao conhecimento e leitura da Bíblia Sagrada?

Oração
Ó Jesus Messias, que fazes bem todas as coisas, com solicitude e gestos adequados, abres os ouvidos e soltas a língua do homem surdo que falava com dificuldade. Abre também nossos ouvidos para ouvirmos atentamente teus ensinamentos e, com nossa voz, difundi-los por toda parte. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-13 DE FEVERERO QUINTA FEIRA

Posted on

5ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Entrai, inclinai-vos e prostrai-vos: adoremos o Senhor que nos criou, pois ele é o nosso Deus (Sl 94,6s).

O Senhor firmou uma aliança com seu povo e a ela permanece sempre fiel. Ele nos conceda a graça de também sermos fiéis a essa aliança de amor e aumente nossa fé no projeto salvífico de seu Filho.

Primeira Leitura: 1 Reis 11,4-13

 

Leitura do primeiro livro dos Reis – 4Quando Salomão ficou velho, suas mulheres desviaram o seu coração para outros deuses e seu coração já não pertencia inteiramente ao Senhor, seu Deus, como o do seu pai, Davi. 5Salomão prestou culto a Astarte, deusa dos sidônios, e a Melcom, ídolo dos amonitas. 6Ele fez o que desagrada ao Senhor e não lhe foi inteiramente fiel, como seu pai, Davi. 7Foi então que Salomão construiu um santuário para Camos, ídolo de Moab, no monte que está defronte de Jerusalém, e para Melcom, ídolo dos amonitas. 8Fez o mesmo para todas as suas mulheres estrangeiras, as quais queimavam incenso e ofereciam sacrifícios aos seus deuses. 9Então, o Senhor irritou-se contra Salomão, porque o seu coração tinha se desviado do Senhor, Deus de Israel, que lhe tinha aparecido duas vezes 10e lhe proibira expressamente seguir a outros deuses. Mas ele não obedeceu à ordem do Senhor. 11E o Senhor disse a Salomão: “Já que procedeste assim e não guardaste a minha aliança nem as leis que te prescrevi, vou tirar-te o reino e dá-lo a um teu servo. 12Mas, por amor de teu pai, Davi, não o farei durante a tua vida; é da mão de teu filho que o arrebatarei. 13Não te tirarei o reino todo, mas deixarei ao teu filho uma tribo, por consideração para com meu servo Davi e para com Jerusalém, que escolhi”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 105(106)

 

Lembrai-vos, ó Senhor, de mim, lembrai-vos, / segundo o amor que demonstrais ao vosso povo!

1. Felizes os que guardam seus preceitos / e praticam a justiça em todo o tempo! / Lembrai-vos, ó Senhor, de mim, lembrai-vos, / pelo amor que demonstrais ao vosso povo! – R.
2. Misturaram-se, então, com os pagãos / e aprenderam seus costumes depravados. / Aos ídolos pagãos prestaram culto, / que se tornaram armadilha para eles. – R.
3. Pois imolaram até mesmo os próprios filhos, / sacrificaram suas filhas aos demônios. / Acendeu-se a ira de Deus contra o seu povo, / e o Senhor abominou a sua herança. – R.

Evangelho: Marcos 7,24-30

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Acolhei docilmente a Palavra semeada em vós, meus irmãos; / ela pode salvar vossas vidas! (Tg 1,21) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 24Jesus saiu e foi para a região de Tiro e Sidônia. Entrou numa casa e não queria que ninguém soubesse onde ele estava. Mas não conseguiu ficar escondido. 25Uma mulher, que tinha uma filha com um espírito impuro, ouviu falar de Jesus. Foi até ele e caiu a seus pés. 26A mulher era pagã, nascida na Fenícia da Síria. Ela suplicou a Jesus que expulsasse de sua filha o demônio. 27Jesus disse: “Deixa primeiro que os filhos fiquem saciados, porque não está certo tirar o pão dos filhos e jogá-lo aos cachorrinhos”. 28A mulher respondeu: “É verdade, Senhor; mas também os cachorrinhos, debaixo da mesa, comem as migalhas que as crianças deixam cair”. 29Então Jesus disse: “Por causa do que acabas de dizer, podes voltar para casa. O demônio já saiu de tua filha”. 30Ela voltou para casa e encontrou sua filha deitada na cama, pois o demônio já havia saído dela. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Jesus encontra-se fora do seu costumeiro campo de missão. Mesmo assim, “não conseguiu ficar despercebido”. Uma senhora estrangeira o descobre e, com um gesto de respeito, lhe pede a cura de sua “filha possuída por um espírito impuro”. Talvez para testar a fé dessa mulher, Jesus dificulta o atendimento. Mas, diante da insistência dela, cede a seus rogos. Garante-lhe que, por sua fé extraordinária, sua filha já está curada. Jesus não é um mágico que passa o tempo fazendo prodígios para impressionar o povo. Jesus não é um milagreiro. O milagre se dá quando a pessoa que o solicita se dispõe a acreditar em Jesus e seguir seus passos. Às vezes a pessoa não vai além do benefício recebido. Seu coração ainda não está preparado para trilhar os caminhos do Senhor.

Oração
Ó Jesus, que a todos recebes sem discriminar, és procurado por uma mulher estrangeira, que implora a cura da filha dela. Parece que a tratas com dureza. Na verdade, queres ensinar aos apóstolos que fora do povo eleito também existe fé, e, por vezes, fé ainda mais elevada, digna do teu elogio. Amém.

Fonte:paulus.com.br

LITURGIA-12 DE FEVERERO QUARTA FEIRA

Posted on

5ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Entrai, inclinai-vos e prostrai-vos: adoremos o Senhor que nos criou, pois ele é o nosso Deus (Sl 94,6s).

A sabedoria vem de Deus e é encontrada no cotidiano da vida. Esta liturgia nos anime a exercitar a sabedoria que o Senhor nos concedeu e aprender de Jesus a zelar pelas motivações do nosso coração.

Primeira Leitura: 1 Reis 10,1-10

 

Leitura do primeiro livro dos Reis – Naqueles dias, 1a rainha de Sabá, tendo ouvido falar – para a glória do Senhor – da fama de Salomão, veio prová-lo com enigmas. 2Chegou a Jerusalém com numerosa comitiva, com camelos carregados de aromas e enorme quantidade de ouro e pedras preciosas. Apresentou-se ao rei Salomão e expôs-lhe tudo o que tinha em seu pensamento. 3Salomão soube responder a todas as suas perguntas: para ele nada houve tão obscuro que não pudesse esclarecer. 4Quando a rainha de Sabá viu toda a sabedoria de Salomão, a casa que tinha construído, 5os manjares da sua mesa, os cortesãos sentados em ordem à mesa, as diversas classes dos que o serviam e suas vestes, os copeiros, os holocaustos que ele oferecia no templo do Senhor, ficou pasmada e disse ao rei: 6“Realmente era verdade o que eu ouvi no meu país a respeito de tuas palavras e de tua sabedoria! 7Eu não queria acreditar no que diziam, até que vim e vi com os meus próprios olhos, e reconheci que não me tinham dito nem a metade. Tua sabedoria e tua riqueza são muito maiores do que a fama que chegara aos meus ouvidos. 8Feliz a tua gente, felizes os teus servos que gozam sempre da tua presença e que ouvem a tua sabedoria! 9Bendito seja o Senhor, teu Deus, a quem agradaste, que te colocou sobre o trono de Israel, porque o Senhor amou Israel para sempre e te constituiu rei para governares com justiça e equidade”. 10Depois ela deu ao rei cento e vinte talentos de ouro e grande quantidade de aromas e pedras preciosas. Nunca mais foi trazida tanta quantidade de aromas como a que a rainha de Sabá deu ao rei Salomão. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 36(37)

 

O justo tem nos lábios o que é sábio.

1. Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; / confia nele, e com certeza ele agirá. / Fará brilhar tua inocência como a luz / e o teu direito como o sol do meio-dia. – R.
2. O justo tem nos lábios o que é sábio, / sua língua tem palavras de justiça; / traz a aliança do seu Deus no coração, / e seus passos não vacilam no caminho. – R.
3. A salvação dos piedosos vem de Deus; / ele os protege nos momentos de aflição. / O Senhor lhes dá ajuda e os liberta, † defende-os e protege-os contra os ímpios, / e os guarda porque nele confiaram. – R.

Evangelho: Marcos 7,14-23

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Vossa palavra é a verdade; / santificai-nos na verdade! (Jo 17,17) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 14Jesus chamou a multidão para perto de si e disse: “Escutai todos e compreendei: 15o que torna impuro o homem não é o que entra nele, vindo de fora, mas o que sai do seu interior. 16Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”. 17Quando Jesus entrou em casa, longe da multidão, os discípulos lhe perguntaram sobre essa parábola. 18Jesus lhes disse: “Será que nem vós compreendeis? Não entendeis que nada do que vem de fora e entra numa pessoa pode torná-la impura, 19porque não entra em seu coração, mas em seu estômago e vai para a fossa?” Assim Jesus declarava que todos os alimentos eram puros. 20Ele disse: “O que sai do homem, isso é que o torna impuro. 21Pois é de dentro do coração humano que saem as más intenções, imoralidades, roubos, assassínios, 22adultérios, ambições desmedidas, maldades, fraudes, devassidão, inveja, calúnia, orgulho, falta de juízo. 23Todas essas coisas más saem de dentro, e são elas que tornam impuro o homem”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

O discurso de Jesus diante da multidão é uma clara resposta aos fariseus e doutores da Lei, fixados na tradição do puro e impuro: “O que sai da pessoa, isso é que a torna impura”. Na sua catequese particular aos discípulos, Jesus “declarava puros todos os alimentos”. A impureza não vem de fora; é elaborada no coração. É aí que nasce todo tipo de malícia. Como se pusesse um espelho diante das pessoas, Jesus apresenta uma lista de pecados. Cada um veja em que precisa se corrigir, convertendo-se para Deus. Os pecados fazem referência principalmente ao relacionamento com o próximo; indicam atitudes que prejudicam o amor fraterno. Ser puro diante de Deus é agir honestamente, favorecer a boa convivência social, auxiliar os necessitados, usar de misericórdia para com todos…

Oração
Ó Jesus, divino Mestre, ensinas a respeito do que realmente torna a pessoa impura. O que a torna impura é o que ela elabora no seu interior. Pensamentos e sentimentos maus, gerados em seu coração, se transformam em atitudes más. Cria em nós, Senhor, condições para só produzir o que é bom. Amém.