Santuário Astorga

Liturgia diária

LITURGIA-23 DE UOTUBRO QUARTA FEIRA

Posted on

 

29ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me (Sl 16,6.8).

A maturidade cristã supõe a responsabilidade com o compromisso de viver a justiça do Reino, pois cada um é cobrado pelos dons recebidos. Celebremos com a certeza de que nosso auxílio está no nome do Senhor.

Primeira Leitura: Romanos 6,12-18

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, 12que o pecado não reine mais em vosso corpo mortal, levando-vos a obedecer às suas paixões. 13Não ofereçais mais vossos membros ao pecado como armas de iniquidade. Pelo contrário, oferecei-vos a Deus como pessoas vivas, isto é, como pessoas que passaram da morte à vida, e ponde vossos membros ao serviço de Deus como armas de justiça. 14De fato, o pecado não vos dominará, visto que não estais sob o regime da lei, mas sob o regime da graça. 15Então iremos pecar, porque não estamos sob o regime da lei, mas sob o regime da graça? De modo algum! 16Acaso não sabeis que, oferecendo-vos a alguém como escravos, sois realmente escravos daquele a quem obedeceis, seja escravos do pecado para a morte, seja escravos da obediência para a justiça? 17Graças a Deus que vós, depois de terdes sido escravos do pecado, passastes a obedecer, de coração, aos ensinamentos aos quais fostes entregues. 18Libertados do pecado, vos tornastes escravos da justiça. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 123(124)

Nosso auxílio está no nome do Senhor.

  1. Se o Senhor não estivesse ao nosso lado, / que o diga Israel neste momento; / se o Senhor não estivesse ao nosso lado / quando os homens investiram contra nós, / com certeza nos teriam devorado / no furor de sua ira contra nós. – R.
  2. Então as águas nos teriam submergido, / a correnteza nos teria arrastado / e, então, por sobre nós teriam passado / essas águas sempre mais impetuosas. / Bendito seja o Senhor, que não deixou / cairmos como presa de seus dentes! – R.
  3. Nossa alma como um pássaro escapou / do laço que lhe armara o caçador; / o laço arrebentou-se de repente, / e assim nós conseguimos libertar-nos. / O nosso auxílio está no nome do Senhor, / do Senhor que fez o céu e fez a terra! – R.
Evangelho: Lucas 12,39-48

Aleluia, aleluia, aleluia.

Vigiai, diz Jesus, vigiai, / pois, no dia em que não esperais, / o vosso Senhor há de vir (Mt 24,42.44). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 39“Ficai certos, se o dono da casa soubesse a hora em que o ladrão iria chegar, não deixaria que arrombasse a sua casa. 40Vós também ficai preparados! Porque o Filho do homem vai chegar na hora em que menos o esperardes”. 41Então Pedro disse: “Senhor, tu contas esta parábola para nós ou para todos?” 42E o Senhor respondeu: “Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa para dar comida a todos na hora certa? 43Feliz o empregado que o patrão, ao chegar, encontrar agindo assim! 44Em verdade eu vos digo, o senhor lhe confiará a administração de todos os seus bens. 45Porém, se aquele empregado pensar: ‘Meu patrão está demorando’, e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se, 46o senhor daquele empregado chegará num dia inesperado e numa hora imprevista, ele o partirá ao meio e o fará participar do destino dos infiéis. 47Aquele empregado que, conhecendo a vontade do senhor, nada preparou nem agiu conforme a sua vontade será chicoteado muitas vezes. 48Porém o empregado que não conhecia essa vontade e fez coisas que merecem castigo será chicoteado poucas vezes. A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido!” – Palavra da salvação.

Reflexão:

Nas coisas de Deus, quem é o administrador fiel e prudente? É aquele que não se desvia do caminho de Jesus, está sempre atento a seus apelos, e na alegria continua servindo ao rebanho dele. É recomendação atual, não só para o povo em geral, mas também para as lideranças religiosas: bispos, padres, diáconos, ministros e agentes de pastoral. O evangelho apresenta o cristão vigilante com a mentalidade de administrador e não de patrão. Só Deus é o Senhor. A Igreja precisa menos de “patrões” e mais de “servos”. Pelo batismo, todos assumem responsabilidades e devem pôr-se a serviço dos outros. Portanto, sem usar sua função com autoritarismo e ares de poder, cada um é convidado a empenhar-se humildemente a serviço da comunidade, sabendo que pode contar com a graça de Deus.

Fonte/texto:acidigital.com.br

LITURGIA-22 DE OUTUBRO

Posted on

 TERÇA-FEIRA

29ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me (Sl 16,6.8).

É feliz quem se faz atento às palavras do Senhor e, com a luz da fé acesa, aguarda sua vinda gloriosa. Em Cristo, que supera todo pecado, encontram-se a vida, a graça e a salvação da humanidade.

Primeira Leitura: Romanos 5,12.15.17-21

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, 12o pecado entrou no mundo por um só homem. Através do pecado, entrou a morte. E a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram. 15A transgressão de um só levou a multidão humana à morte, mas foi de modo bem mais superior que a graça de Deus, ou seja, o dom gratuito concedido através de um só homem, Jesus Cristo, se derramou em abundância sobre todos. 17Por um só homem, pela falta de um só homem, a morte começou a reinar. Muito mais reinarão na vida, pela mediação de um só, Jesus Cristo, os que recebem o dom gratuito e superabundante da justiça. 18Como a falta de um só acarretou condenação para todos os homens, assim o ato de justiça de um só trouxe, para todos os homens, a justificação que dá a vida. 19Com efeito, como, pela desobediência de um só homem, a humanidade toda foi estabelecida numa situação de pecado, assim também, pela obediência de um só, toda a humanidade passará para uma situação de justiça. 20Porém, onde se multiplicou o pecado, aí superabundou a graça. 21Enfim, como o pecado tem reinado pela morte, que a graça reine pela justiça, para a vida eterna, por Jesus Cristo, Senhor nosso. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 39(40)

Eis que venho fazer, com prazer, / a vossa vontade, Senhor!

1. Sacrifício e oblação não quisestes, / mas abristes, Senhor, meus ouvidos; / não pedistes ofertas nem vítimas, † holocaustos por nossos pecados, / e então eu vos disse: “Eis que venho!” – R.

2. Sobre mim está escrito no livro: † “Com prazer faço a vossa vontade, / guardo em meu coração vossa lei!” – R.

3. Boas-novas de vossa justiça † anunciei numa grande assembleia; / vós sabeis: não fechei os meus lábios! – R.

4. Mas se alegre e em vós rejubile / todo ser que vos busca, Senhor! / Digam sempre: “É grande o Senhor!” / os que buscam em vós seu auxílio. – R.

Evangelho: Lucas 12,35-38

Aleluia, aleluia, aleluia.

Vigiai e orai para ficardes de pé / ante o Filho do homem! (Lc 21,36) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 35“Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. 36Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento para lhe abrirem imediatamente a porta, logo que ele chegar e bater. 37Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade eu vos digo, ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. 38E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão se assim os encontrar!” – Palavra da salvação.

Reflexão:

Rins cingidos e lâmpadas acesas indicam prontidão e vigilância ativa. Mergulhados no corre-corre do dia a dia, na administração dos bens terrenos, as pessoas deixam escapar a ocasião de viver os valores do Reino. Este é o perigo que ronda todos os que vivem cercados de constantes propostas e seduções da sociedade de consumo. O cristão vive no mundo sem ser do mundo, como afirmava Jesus a respeito de seus discípulos (Jo 17,11.16). A comunidade deve estar em contínua vigilância, fiel à palavra e à ação de Jesus. Que o mundo não nos distraia de nossos compromissos cristãos. Assim, quando o Senhor nos visitar com sua graça ou na hora de nossa morte, nos encontre de prontidão a serviço da justiça e da fraternidade. Jesus mesmo nos honrará com seus favores.

Fonte/texto:paulus.com.br

LITURGIA-21 DE OUTUBRO SEGUNDA FEIRA

Posted on

29ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me (Sl 16,6.8).

Não raro os bens materiais são alvo de preocupações e esforços excessivos. Jesus nos convida a dedicar atenção ao essencial: ser ricos diante de Deus, que tem pleno poder sobre nossa vida.

Primeira Leitura: Romanos 4,20-25

 

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, 20diante da promessa divina, Abraão não duvidou por falta de fé, mas revigorou-se na fé e deu glória a Deus, 21convencido de que Deus tem poder para cumprir o que prometeu. 22Esta sua atitude de fé lhe foi creditada como justiça. 23Afirmando que a fé lhe foi creditada como justiça, a Escritura visa não só à pessoa de Abraão, mas também a nós, pois a fé será creditada também para nós que cremos naquele que ressuscitou dos mortos Jesus, nosso Senhor. 25Ele, Jesus, foi entregue por causa de nossos pecados e foi ressuscitado para nossa justificação. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: Lc 1

 

Bendito seja o Senhor Deus de Israel, / porque a seu povo visitou e libertou!

  1. Fez surgir um poderoso salvador / na casa de Davi, seu servidor, / como falara pela boca de seus santos, / os profetas desde os tempos mais antigos. – R.
  2. Para salvar-nos do poder dos inimigos / e da mão de todos quantos nos odeiam. / Assim mostrou misericórdia a nossos pais, / recordando a sua santa aliança. – R.
  3. E o juramento a Abraão, o nosso pai, / de conceder-nos que, libertos do inimigo, / a ele nós sirvamos sem temor, † em santidade e em justiça diante dele, / enquanto perdurarem nossos dias. – R.

Evangelho:29ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me (Sl 16,6.8).

Não raro os bens materiais são alvo de preocupações e esforços excessivos. Jesus nos convida a dedicar atenção ao essencial: ser ricos diante de Deus, que tem pleno poder sobre nossa vida.

Primeira Leitura: Romanos 4,20-25

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, 20diante da promessa divina, Abraão não duvidou por falta de fé, mas revigorou-se na fé e deu glória a Deus, 21convencido de que Deus tem poder para cumprir o que prometeu. 22Esta sua atitude de fé lhe foi creditada como justiça. 23Afirmando que a fé lhe foi creditada como justiça, a Escritura visa não só à pessoa de Abraão, mas também a nós, pois a fé será creditada também para nós que cremos naquele que ressuscitou dos mortos Jesus, nosso Senhor. 25Ele, Jesus, foi entregue por causa de nossos pecados e foi ressuscitado para nossa justificação. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: Lc 1

Bendito seja o Senhor Deus de Israel, / porque a seu povo visitou e libertou!

  1. Fez surgir um poderoso salvador / na casa de Davi, seu servidor, / como falara pela boca de seus santos, / os profetas desde os tempos mais antigos. – R.
  2. Para salvar-nos do poder dos inimigos / e da mão de todos quantos nos odeiam. / Assim mostrou misericórdia a nossos pais, / recordando a sua santa aliança. – R.
  3. E o juramento a Abraão, o nosso pai, / de conceder-nos que, libertos do inimigo, / a ele nós sirvamos sem temor, † em santidade e em justiça diante dele, / enquanto perdurarem nossos dias. – R.
Evangelho: Lucas 12,13-21

Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes os humildes de espírito, / porque deles é o reino dos céus (Mt 5,3). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 13alguém, do meio da multidão, disse a Jesus: “Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo”. 14Jesus respondeu: “Homem, quem me encarregou de julgar ou de dividir vossos bens?” 15E disse-lhes: “Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens”. 16E contou-lhes uma parábola: “A terra de um homem rico deu uma grande colheita. 17Ele pensava consigo mesmo: ‘O que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita’. 18Então resolveu: ‘Já sei o que fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. 19Então poderei dizer a mim mesmo: Meu caro, tu tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, aproveita!’ 20Mas Deus lhe disse: ‘Louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?’ 21Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

São proverbiais as brigas por causa de repartição de herança. Jesus bem conhecia essa realidade que, pelo jeito, corre os séculos. A pergunta de um herdeiro oferece a ocasião para Jesus nos ensinar sobre a necessidade de vivermos desapegados dos bens terrenos: “Evitem todo tipo de ganância”. Por mais rico que seja alguém, “sua vida não é garantida pelos seus bens”. Não raro vemos, pela mídia, que muitos ricaços se desdobram gastando fortunas para curar-se de um câncer. Toda a quantia investida no tratamento não é capaz de derrotar a doença. Dinheiro chama dinheiro, riqueza produz riqueza, armazém lotado de mercadoria exige mais armazéns lotados. Para que tudo isso? Importante, diz Jesus, é ser rico para Deus. Cabe-nos perguntar: como estou administrando o dom da vida que Deus me deu?

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes os humildes de espírito, / porque deles é o reino dos céus (Mt 5,3). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 13alguém, do meio da multidão, disse a Jesus: “Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo”. 14Jesus respondeu: “Homem, quem me encarregou de julgar ou de dividir vossos bens?” 15E disse-lhes: “Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens”. 16E contou-lhes uma parábola: “A terra de um homem rico deu uma grande colheita. 17Ele pensava consigo mesmo: ‘O que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita’. 18Então resolveu: ‘Já sei o que fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. 19Então poderei dizer a mim mesmo: Meu caro, tu tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, aproveita!’ 20Mas Deus lhe disse: ‘Louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?’ 21Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

São proverbiais as brigas por causa de repartição de herança. Jesus bem conhecia essa realidade que, pelo jeito, corre os séculos. A pergunta de um herdeiro oferece a ocasião para Jesus nos ensinar sobre a necessidade de vivermos desapegados dos bens terrenos: “Evitem todo tipo de ganância”. Por mais rico que seja alguém, “sua vida não é garantida pelos seus bens”. Não raro vemos, pela mídia, que muitos ricaços se desdobram gastando fortunas para curar-se de um câncer. Toda a quantia investida no tratamento não é capaz de derrotar a doença. Dinheiro chama dinheiro, riqueza produz riqueza, armazém lotado de mercadoria exige mais armazéns lotados. Para que tudo isso? Importante, diz Jesus, é ser rico para Deus. Cabe-nos perguntar: como estou administrando o dom da vida que Deus me deu?

Fonte/texto:paulus.com.br

LITURGIA-20 DE OUTUBRO DOMINGO

Posted on

29º DO TEMPO COMUM

(verde, glória, creio – 1ª semana do saltério)

Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me (Sl 16,6.8).

Somos encorajados por esta liturgia a erguer juntos nossas mãos para invocar o socorro do Senhor, que nos convida à oração perseverante. Sempre atento às nossas súplicas, o Pai nos dá a certeza de que cuida da nossa vida e faz justiça aos injustiçados. Neste dia das missões, celebremos o mistério pascal de Cristo, que nos ajuda a permanecer firmes na verdade e no anúncio do evangelho, como batizados e enviados.

Primeira Leitura: Êxodo 17,8-13

 

Leitura do livro do Êxodo – Naqueles dias, 8os amalecitas vieram atacar Israel em Rafidim. 9Moisés disse a Josué: “Escolhe alguns homens e vai combater contra os amalecitas. Amanhã estarei, de pé, no alto da colina, com a vara de Deus na mão”. 10Josué fez o que Moisés lhe tinha mandado e combateu os amalecitas. Moisés, Aarão e Ur subiram ao topo da colina. 11E, enquanto Moisés conservava a mão levantada, Israel vencia; quando abaixava a mão, vencia Amalec. 12Ora, as mãos de Moisés tornaram-se pesadas. Pegando então uma pedra, colocaram-na debaixo dele para que se sentasse, e Aarão e Ur, um de cada lado, sustentavam as mãos de Moisés. Assim, suas mãos não se fatigaram até o pôr do sol, 13e Josué derrotou Amalec e sua gente a fio de espada. ­­– Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 120(121)

 

Do Senhor é que me vem o meu socorro, / do Senhor que fez o céu e fez a terra.

  1. Eu levanto os meus olhos para os montes: / de onde pode vir o meu socorro? / “Do Senhor é que me vem o meu socorro, / do Senhor que fez o céu e fez a terra!” – R.
  2. Ele não deixa tropeçarem os meus pés, / e não dorme quem te guarda e te vigia. / Oh, não, ele não dorme nem cochila, / aquele que é o guarda de Israel! – R.
  3. O Senhor é o teu guarda, o teu vigia, / é uma sombra protetora à tua direita. / Não vai ferir-te o sol durante o dia, / nem a lua através de toda a noite. – R.
Segunda Leitura: 2 Timóteo 3,14-4,2

 

Leitura da segunda carta de são Paulo a Timóteo – Caríssimo, 14permanece firme naquilo que aprendeste e aceitaste como verdade; tu sabes de quem o aprendeste. 15Desde a infância conheces as Sagradas Escrituras: elas têm o poder de te comunicar a sabedoria que conduz à salvação pela fé em Cristo Jesus. 16Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, para argumentar, para corrigir e para educar na justiça, 17a fim de que o homem de Deus seja perfeito e qualificado para toda boa obra. 4,1Diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de vir a julgar os vivos e os mortos, e em virtude da sua manifestação gloriosa e do seu reino, eu te peço com insistência: 2proclama a palavra, insiste oportuna ou importunamente, argumenta, repreende, aconselha, com toda a paciência e doutrina. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Lucas 18,1-8

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

A Palavra de Deus é viva e eficaz em suas ações; / penetrando os sentimentos, vai ao íntimo dos corações (Hb 4,12). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 1Jesus contou aos discípulos uma parábola, para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre e nunca desistir, dizendo: 2“Numa cidade havia um juiz que não temia a Deus e não respeitava homem algum. 3Na mesma cidade havia uma viúva, que vinha à procura do juiz, pedindo: ‘Faze-me justiça contra o meu adversário!’ 4Durante muito tempo, o juiz se recusou. Por fim, ele pensou: ‘Eu não temo a Deus e não respeito homem algum. 5Mas esta viúva já me está aborrecendo. Vou fazer-lhe justiça, para que ela não venha a agredir-me!’” 6E o Senhor acrescentou: “Escutai o que diz este juiz injusto. 7E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que dia e noite gritam por ele? Será que vai fazê-los esperar? 8Eu vos digo que Deus lhes fará justiça bem depressa. Mas o Filho do homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?” – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Na caminhada para Jerusalém, Jesus continua formando seus seguidores. O ensinamento deste domingo é sobre a necessidade da oração e o fortalecimento da fé. Essas duas realidades – oração e fé – parecem andar juntas. O texto inicia com a oração e conclui com a fé. O evangelista apresenta o caso de uma pobre viúva, sem apoio de nenhum homem. Viúva no tempo de Jesus é protótipo de pessoa pobre, juntamente com órfãos e estrangeiros. Essa viúva busca um juiz para que lhe faça justiça. Depois de muita insistência, o juiz atende o apelo da mulher. Como sempre, é muito difícil os pobres serem atendidos. Nesse sentido, vale a pena perguntar o que fazemos diante das injustiças que se cometem contra os empobrecidos todo santo dia. Oxalá eles ainda mexam conosco! O exemplo dessa pobre viúva deve nos incentivar a depositar nossa confiança em Deus, justo juiz, e a nunca esmorecer diante das necessidades dos pobres. A fé pode enfraquecer quando deixamos de orar e não nos solidarizar com os necessitados. A oração e o engajamento no compromisso com o Reino de Deus certamente fortalecerão nossa fé. Como nos diz Tiago em sua carta: a fé sem obras é morta (2,26).

LITURGIA-19 DE OUTUBRO SABADO

Posted on

28ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Senhor, se levardes em conta as nossas faltas, quem poderá subsistir? Mas em vós encontra-se o perdão, Deus de Israel (Sl 129,3s).

Nossa missão é dar testemunho de Cristo às pessoas, na trilha aberta pelos que nos precederam. Esta liturgia nos anime a levar seu amor a todos, para sermos dignos do testemunho do próprio Cristo a nosso favor.

Primeira Leitura: Romanos 4,13.16-18

 

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, 13não foi por causa da lei, mas por causa da justiça que vem da fé, que Deus prometeu o mundo como herança a Abraão ou à sua descendência. 16É em virtude da fé que alguém se torna herdeiro. Logo, a condição de herdeiro é uma graça, um dom gratuito, e a promessa de Deus continua valendo para toda a descendência de Abraão, tanto para a descendência que se apega à lei quanto para a que se apoia somente na fé de Abraão, que é o pai de todos nós. 17Pois está escrito: “Eu fiz de ti pai de muitos povos”. Ele é pai diante de Deus porque creu em Deus, que vivifica os mortos e faz existir o que antes não existia. 18Contra toda a humana esperança, ele firmou-se na esperança e na fé. Assim, tornou-se pai de muitos povos, conforme lhe fora dito: “Assim será a tua posteridade”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 104(105)

 

O Senhor se lembra sempre da aliança.

  1. Descendentes de Abraão, seu servidor, / e filhos de Jacó, seu escolhido, / ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, / vigoram suas leis em toda a terra. – R.
  2. Ele sempre se recorda da aliança, / promulgada a incontáveis gerações; / da aliança que ele fez com Abraão / e do seu santo juramento a Isaac. – R.
  3. Ele lembrou-se de seu santo juramento, / que fizera a Abraão, seu servidor. / Fez sair, com grande júbilo, o seu povo / e seus eleitos entre gritos de alegria. – R.
Evangelho: Lucas 12,8-12

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

O Espírito Santo, a verdade, de mim irá testemunhar; / e vós minhas testemunhas sereis em todo lugar (Jo 15,26s). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 8“Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus. 9Mas aquele que me renegar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus. 10Todo aquele que disser alguma coisa contra o Filho do homem será perdoado. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado. 11Quando vos conduzirem diante das sinagogas, magistrados e autoridades, não fiqueis preocupados em como ou com que vos defendereis ou com o que direis. 12Pois nessa hora o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Declarar-se por alguém diante dos anjos é o mesmo que defender o ingresso desse alguém na esfera do Pai celeste. É o que faz Jesus em favor dos seus fiéis seguidores. E o que é blasfemar contra o Espírito Santo? Sabemos que toda a vida e as obras de Jesus se desenrolam sob a ação do Espírito. Já o dizia o próprio Jesus no início de sua missão: “O Espírito do Senhor está sobre mim…” (Lc 4,18). Ora, dizer que Jesus age pelo poder de Satanás (cf. Lc 11,15) é blasfemar contra o Espírito Santo. É como chamar o Espírito Santo de Satanás, sendo justamente Satanás o inimigo declarado de Jesus. Quem ofende a Jesus poderá obter perdão, afinal as pessoas são lentas para crer que ele é o Filho de Deus. Mas atribuir o Bem ao Maligno, isso é imperdoável. Vai contra a evidência e a reta intenção. É um fechamento total.

Fonte/texto:paulus.com.br

LITURGIA-18 DE OUTUBRO SEXTA FEIRA

Posted on

SÃO LUCAS

EVANGELISTA E MISSIONÁRIO

(vermelho, glória, pref. dos apóstolos II, pág. 6 – ofício da festa)

Como são belos sobre os montes os passos daquele que anuncia a paz, trazendo a boa-nova e proclamando a salvação! (Is 52,7)

Lucas, médico que foi companheiro de Paulo nas suas viagens, é autor de um dos evangelhos e dos Atos dos Apóstolos. Evangelista do amor e da misericórdia divina, descreve Jesus como amigo dos pobres e das mulheres. Nos Atos, traça o retrato da Igreja que persevera no ensinamento dos apóstolos, na caridade fraterna, na fração do pão e na oração. Imitando seu exemplo, anunciemos o reino glorioso do Senhor.

Primeira Leitura: 2 Timóteo 4,10-17

 

Leitura da segunda carta de são Paulo a Timóteo – Caríssimo, 10Demas me abandonou por amor deste mundo e foi para Tessalônica. Crescente foi para a Galácia, Tito para a Dalmácia. 11Só Lucas está comigo. Toma contigo Marcos e traze-o, porque me é útil para o ministério. 12Mandei Tíquico a Éfeso. 13Quando vieres, traze contigo a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos. 14Alexandre, o ferreiro, tem-me causado muito dano; o Senhor lhe pagará segundo as suas obras! 15Evita-o também tu, pois ele fez forte oposição às nossas palavras. 16Na minha primeira defesa, ninguém me assistiu; todos me abandonaram. Oxalá que não lhes seja levado em conta. 17Mas o Senhor esteve a meu lado e me deu forças, ele fez com que a mensagem fosse anunciada por mim integralmente e ouvida por todas as nações. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 144(145)

 

Ó Senhor, vossos amigos anunciem vosso reino glorioso!

  1. Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem / e os vossos santos, com louvores, vos bendigam! / Narrem a glória e o esplendor do vosso reino / e saibam proclamar vosso poder! – R.
  2. Para espalhar vossos prodígios entre os homens / e o fulgor de vosso reino esplendoroso. / O vosso reino é um reino para sempre, / vosso poder, de geração em geração. – R.
  3. É justo o Senhor em seus caminhos, / é santo em toda obra que ele faz. / Ele está perto da pessoa que o invoca, / de todo aquele que o invoca lealmente. – R.
Evangelho: Lucas 10,1-9

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Eu vos designei para que vades e deis frutos, / e o vosso fruto permaneça, assim disse o Senhor (Jo 15,16). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 1o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. 2E dizia-lhes: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita. 3Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. 4Não leveis bolsa, nem sacola, nem sandálias e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! 5Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ 6Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. 7Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não passeis de casa em casa. 8Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, 9curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘O reino de Deus está próximo de vós’”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Na caminhada para Jerusalém, Jesus continua formando seus seguidores. O ensinamento deste domingo é sobre a necessidade da oração e o fortalecimento da fé. Essas duas realidades – oração e fé – parecem andar juntas. O texto inicia com a oração e conclui com a fé. O evangelista apresenta o caso de uma pobre viúva, sem apoio de nenhum homem. Viúva no tempo de Jesus é protótipo de pessoa pobre, juntamente com órfãos e estrangeiros. Essa viúva busca um juiz para que lhe faça justiça. Depois de muita insistência, o juiz atende o apelo da mulher. Como sempre, é muito difícil os pobres serem atendidos. Nesse sentido, vale a pena perguntar o que fazemos diante das injustiças que se cometem contra os empobrecidos todo santo dia. Oxalá eles ainda mexam conosco! O exemplo dessa pobre viúva deve nos incentivar a depositar nossa confiança em Deus, justo juiz, e a nunca esmorecer diante das necessidades dos pobres. A fé pode enfraquecer quando deixamos de orar e não nos solidarizar com os necessitados. A oração e o engajamento no compromisso com o Reino de Deus certamente fortalecerão nossa fé. Como nos diz Tiago em sua carta: a fé sem obras é morta (2,26).

Fonte/texto:paulus.com.br

LITURGIA-17 DE OUTUBRO QUINTA FEIRA

Posted on

SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA

BISPO E MÁRTIR

(vermelho, pref. comum ou dos mártires, pág. 7 – ofício da memória)

Estou pregado na cruz com Jesus Cristo: já não sou eu que vivo, mas é o Cristo que vive em mim. Vivo na fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim (Gl 2,19s).

Inácio nasceu na Síria no ano 50 e foi morto em Roma em 107. Terceiro bispo de Antioquia e discípulo do apóstolo João, foi preso por ordem do imperador e condenado às feras no Coliseu. Rumo ao martírio, deu testemunho de fé em Jesus Cristo e fortaleceu as comunidades cristãs. Celebrando sua memória, rezemos por todos os cristãos perseguidos.

Primeira Leitura: Romanos 3,21-30

 

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, 21agora, sem depender do regime da lei, a justiça de Deus se manifestou, atestada pela lei e pelos profetas; 22justiça de Deus essa que se realiza mediante a fé em Jesus Cristo, para todos os que têm a fé. Pois diante dessa justiça não há distinção: 23todos pecaram e estão privados da glória de Deus, 24e a justificação se dá gratuitamente, por sua graça, realizada em Jesus Cristo. 25Deus destinou Jesus Cristo a ser, por seu próprio sangue, instrumento de expiação mediante a realidade da fé. Assim Deus mostrou sua justiça em ter deixado sem castigo os pecados cometidos outrora, 26no tempo de sua tolerância. Assim ainda ele demonstra sua justiça no tempo presente, para ser ele mesmo justo e tornar justo aquele que vive a partir da fé em Jesus. 27Onde estaria, então, o direito de alguém se gloriar? Foi excluído. Por qual lei? Pela lei das obras? Absolutamente não, mas, sim, pela lei da fé. 28Com efeito, julgamos que o homem é justificado pela fé, sem a prática da lei judaica. 29Acaso Deus é só dos judeus? Não é também Deus dos pagãos? Sim, é também Deus dos pagãos. 30Pois Deus é um só. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 129(130)

 

No Senhor se encontra toda graça / e copiosa redenção!

  1. Das profundezas eu clamo a vós, Senhor, / escutai a minha voz! / Vossos ouvidos estejam bem atentos / ao clamor da minha prece! – R.
  2. Se levardes em conta nossas faltas, / quem haverá de subsistir? / Mas em vós se encontra o perdão, / eu vos temo e em vós espero. – R.
  3. No Senhor ponho a minha esperança, / espero em sua palavra. / A minha alma espera no Senhor / mais que o vigia pela aurora. – R.
Evangelho: Lucas 11,47-54

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai, senão por mim (Jo 14,6). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, disse o Senhor: 47“Ai de vós, porque construís os túmulos dos profetas; no entanto, foram vossos pais que os mataram. 48Com isso, vós sois testemunhas e aprovais as obras de vossos pais, pois eles mataram os profetas e vós construís os túmulos. 49É por isso que a sabedoria de Deus afirmou: Eu lhes enviarei profetas e apóstolos, e eles matarão e perseguirão alguns deles, 50a fim de que se peçam contas a esta geração do sangue de todos os profetas derramado desde a criação do mundo, 51desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi morto entre o altar e o santuário. Sim, eu vos digo, serão pedidas contas disso a esta geração. 52Ai de vós, mestres da lei, porque tomastes a chave da ciência. Vós mesmos não entrastes e ainda impedistes os que queriam entrar”. 53Quando Jesus saiu daí, os mestres da lei e os fariseus começaram a tratá-lo mal e a provocá-lo sobre muitos pontos. 54Armavam ciladas para pegá-lo de surpresa por qualquer palavra que saísse de sua boca. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

“Serão pedidas contas a esta geração!” Os destinatários desta sentença eram primeiramente os doutores da Lei e os fariseus. A menção dos apóstolos ao lado dos profetas deixa entrever as perseguições dos chefes contra a primeira geração apostólica. Os especialistas em leis dificultavam, para as pessoas simples, a compreensão e a prática da Lei de Deus. Mais grave: incutiam medo no povo para que não se aproximasse de Jesus (cf. Jo 12,42). O saber, em posse de poucas pessoas, ou utilizado como veículo de dominação, é uma forma de injustiça e um dos obstáculos à fraternidade. Jesus distribui tantas carapuças aos fariseus e doutores da Lei, que não causa espanto o fato de se porem de acordo, “armando ciladas para apanhá-lo de surpresa em alguma palavra que saísse de sua boca”.

Fonte/texto:paulus.com.br

LITURGIA-16 DE OUTUBRO QUARTA FEIRA

Posted on

28ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Senhor, se levardes em conta as nossas faltas, quem poderá subsistir? Mas em vós encontra-se o perdão, Deus de Israel (Sl 129,3s).

Perseverante no bem, o cristão busca viver segundo a justiça e o amor de Deus, dando testemunho de autenticidade religiosa. Repousando nossa vida no Senhor, abramos para ele o coração e celebremos, com amor e fé, esta Eucaristia.

Primeira Leitura: Romanos 2,1-11

 

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – 1Ó homem, qualquer que sejas, tu que julgas, não tens desculpa; pois, julgando os outros, te condenas a ti mesmo, já que fazes as mesmas coisas, tu que julgas. 2Ora, sabemos que o julgamento de Deus se exerce segundo a verdade contra os que praticam tais coisas. 3Ó homem, tu que julgas os que praticam tais coisas e, no entanto, as fazes também tu, pensas que escaparás ao julgamento de Deus? 4Ou será que desprezas as riquezas de sua bondade, de sua tolerância, de sua longanimidade, não entendendo que a benignidade de Deus é um insistente convite para te converteres? 5Por causa de teu endurecimento no mal e por teu coração impenitente, estás acumulando ira para ti mesmo no dia da ira, quando se revelará o justo juízo de Deus. 6Deus retribuirá a cada um segundo as suas obras. 7Para aqueles que, perseverando na prática do bem, buscam a glória, a honra e a incorruptibilidade, Deus dará a vida eterna; 8porém, para os que, por espírito de rebeldia, desobedecem à verdade e se submetem à iniquidade, estão reservadas ira e indignação. 9Tribulação e angústia para toda pessoa que faz o mal, primeiro para o judeu, mas também para o grego; 10glória, honra e paz para todo aquele que pratica o bem, primeiro para o judeu, mas também para o grego; 11pois Deus não faz distinção de pessoas. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 61(62)

 

Senhor, pagais a cada um conforme suas obras.

  1. Só em Deus a minha alma tem repouso, / porque dele é que me vem a salvação! / Só ele é meu rochedo e salvação, / a fortaleza onde encontro segurança! – R.
  2. Só em Deus a minha alma tem repouso, / porque dele é que me vem a salvação! / Só ele é meu rochedo e salvação, / a fortaleza onde encontro segurança! – R.
  3. Povo todo, esperai sempre no Senhor † e abri diante dele o coração: / nosso Deus é um refúgio para nós! – R.
Evangelho: Lucas 11,42-46

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Minhas ovelhas escutam minha voz, eu as conheço e elas me seguem (Jo 10,27). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, disse o Senhor: 42“Ai de vós, fariseus, porque pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as outras ervas, mas deixais de lado a justiça e o amor de Deus. Vós deveríeis praticar isso sem deixar de lado aquilo. 43Ai de vós, fariseus, porque gostais do lugar de honra nas sinagogas e de serdes cumprimentados nas praças públicas. 44Ai de vós, porque sois como túmulos que não se veem, sobre os quais os homens andam sem saber”. 45Um mestre da lei tomou a palavra e disse: “Mestre, falando assim, insultas-nos também a nós!” 46Jesus respondeu: “Ai de vós também, mestres da lei, porque colocais sobre os homens cargas insuportáveis e vós mesmos não tocais nessas cargas nem com um só dedo”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Jesus denuncia duramente os fariseus. Preocupados com a fiel observância de tantos preceitos secundários, acabam relaxando no essencial: “a justiça e o amor de Deus”. É muito forte a imagem do sepulcro caiado que Jesus aplica a eles, pois sugere que o mundo da morte está escondido entre os vivos, ou seja, a corrupção e a impureza andam disfarçadas no meio do povo. Em seguida, Jesus denuncia, ainda com mais vigor, os doutores da Lei, porque “sobrecarregam as pessoas com cargas insuportáveis”, e não esboçam a mínima vontade de ajudar! Cada pessoa, sobretudo quando exerce liderança na comunidade, examine se está praticando o que ensina, ou, pelo contrário, está sufocando os irmãos com pesos insuportáveis. Claro que o ensinamento abrange também a família, a escola e o trabalho.

Fonte/texto:paulus.com.br

LITURGIA-15 DE OUTUBRO TERÇA FEIRA

Posted on

SANTA TERESA DE JESUS

VIRGEM E DOUTORA DA IGREJA

(branco, pref. comum ou das virgens, pág. 7 – ofício da memória)

Como a corça que suspira pelas águas da torrente, assim minha alma suspira por vós, Senhor. Minha alma tem sede do Deus vivo (Sl 41,2s).

Teresa nasceu na Espanha em 1515 e lá faleceu em 1582. Mulher de extraordinários dons, no Carmelo de Ávila concebeu e realizou a reforma que recebeu seu nome e que se estendeu a toda a Ordem Carmelita. Deixou escritos de profunda riqueza espiritual, muito apreciados ainda hoje, que a levaram a ser proclamada doutora da Igreja. Sua sabedoria e coragem nos estimulem no nosso seguimento de Jesus.

Primeira Leitura: Romanos 1,16-25

 

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, 16eu não me envergonho do evangelho, pois ele é uma força salvadora de Deus para todo aquele que crê, primeiro para o judeu, mas também para o grego. 17Nele, com efeito, a justiça de Deus se revela da fé para a fé, como está escrito: O justo viverá pela fé. 18Por outro lado, a ira de Deus se revela, do alto do céu, contra toda a impiedade e iniquidade dos homens que, em sua iniquidade, oprimem a verdade. 19Pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto aos homens: Deus mesmo lho manifestou. 20Suas perfeições invisíveis, como o seu poder eterno e sua natureza divina, são claramente conhecidas, através de suas obras, desde a criação do mundo. Assim, eles não têm desculpa 21por não ter dado glória e ação de graças a Deus como se deve, embora o tenham conhecido. Pelo contrário, enfatuaram-se em suas especulações, e seu coração insensato se obscureceu: 22alardeando sabedoria, tornaram-se ignorantes 23e trocaram a glória do Deus incorruptível por uma figura ou imagem de seres corruptíveis: homens, pássaros, quadrúpedes, répteis. 24Por isso, Deus os entregou com as paixões de seus corações a tal impureza, que eles mesmos desonram seus próprios corpos. 25Trocaram a verdade de Deus pela mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 18(19A)

 

Os céus proclamam a glória do Senhor!

  1. Os céus proclamam a glória do Senhor, / e o firmamento, a obra de suas mãos; / o dia ao dia transmite esta mensagem, / a noite à noite publica esta notícia. – R.
  2. Não são discursos nem frases ou palavras, / nem são vozes que possam ser ouvidas; / seu som ressoa e se espalha em toda a terra, / chega aos confins do universo a sua voz. – R.
Evangelho: Lucas 11,37-41

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

A Palavra do Senhor é viva e eficaz: / ela julga os pensamentos e as intenções do coração (Hb 4,12). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 37enquanto Jesus falava, um fariseu convidou-o para jantar com ele. Jesus entrou e pôs-se à mesa. 38O fariseu ficou admirado ao ver que Jesus não tivesse lavado as mãos antes da refeição. 39O Senhor disse ao fariseu: “Vós, fariseus, limpais o copo e o prato por fora, mas o vosso interior está cheio de roubos e maldades. 40Insensatos! Aquele que fez o exterior não fez também o interior? 41Antes, dai esmola do que vós possuís e tudo ficará puro para vós”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Visto que Jesus veio para todos, não recusa o convite do fariseu para tomar refeição. É que muitas vezes os fariseus se aliam aos doutores da Lei para desclassificar Jesus. Também neste caso, certamente há segundas intenções. Com efeito, o fariseu estranha o fato de Jesus não respeitar certas prescrições da pureza ritual (lavar-se antes de comer). Jesus, por sua vez, colhe a ocasião para mostrar ao seu anfitrião a necessidade de buscar o essencial: a prática da justiça e do amor, que é o centro da nova sociedade inaugurada por Jesus. Daí a sugestão de dar esmola, um gesto concreto que implica envolvimento pessoal e solidariedade. Não se dá esmola só com palavras. O fariseu e nós somos convidados a seguir Jesus mediante o exercício concreto do amor e da misericórdia.

Fonte/texto:paulus.com.br

 

LITURGIA-14 DE OUTUBRO SEGUNDA

Posted on

28ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Senhor, se levardes em conta as nossas faltas, quem poderá subsistir? Mas em vós encontra-se o perdão, Deus de Israel (Sl 129,3s).

Os sinais de Jesus são seus ensinamentos, sua prática e sua própria pessoa. Abrindo-nos a eles, concretizamos nossa vocação de discípulos de Cristo.

Primeira Leitura: Romanos 1,1-7

 

Início da carta de são Paulo aos Romanos – 1Paulo, servo de Jesus Cristo, apóstolo por vocação, escolhido para o evangelho de Deus, 2que pelos profetas havia prometido, nas Escrituras, 3e que diz respeito a seu Filho, descendente de Davi segundo a carne, autenticado como Filho de Deus com poder pelo Espírito de santidade que o ressuscitou dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor. 4É por ele que recebemos a graça da vocação para o apostolado, a fim de podermos trazer à obediência da fé todos os povos pagãos, para a glória de seu nome. 6Entre esses povos estais também vós, chamados a ser discípulos de Jesus Cristo. 7A vós todos que morais em Roma, amados de Deus e santos por vocação, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e de nosso Senhor, Jesus Cristo. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 97(98)

 

O Senhor fez conhecer a salvação.

  1. Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! / Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória. – R.
  2. O Senhor fez conhecer a salvação / e, às nações, sua justiça; / recordou o seu amor sempre fiel / pela casa de Israel. – R.
  3. Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus. / Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai! – R.
Evangelho: Lucas 11,29-32

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: / Não fecheis os corações como em Meriba! (Sl 94,8) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 29quando as multidões se reuniram em grande quantidade, Jesus começou a dizer: “Esta geração é uma geração má. Ela busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal de Jonas. 30Com efeito, assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, assim também será o Filho do homem para esta geração. 31No dia do julgamento, a rainha do Sul se levantará juntamente com os homens desta geração e os condenará. Porque ela veio de uma terra distante para ouvir a sabedoria de Salomão. E aqui está quem é maior do que Salomão. 32No dia do julgamento, os ninivitas se levantarão juntamente com esta geração e a condenarão. Porque eles se converteram quando ouviram a pregação de Jonas. E aqui está quem é maior do que Jonas”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Jesus sente que suas palavras e obras não encontram acolhimento no coração de seus conterrâneos, sobretudo dos dirigentes do povo. De vez em quando, ele é desafiado a exibir algum prodígio espetacular, capaz de convencê-los de que ele é verdadeiramente o Filho de Deus. No entanto, basta-lhes o eloquente sinal de Jonas. Jesus classifica esta geração como malvada, isto é, aferrada a uma instituição que não abre mão de privilégios, que não aceita a proposta de uma sociedade assentada na prática da justiça e da fraternidade. É uma geração tão avessa à presença e mensagem de Jesus, que no dia do Julgamento será condenada. Não por Jesus, mas pelos se converteram com a pregação de Salomão e de Jonas. Aqui está alguém (Jesus) que é maior do que Salomão e Jonas.

Fonte/texto:acidigital.com.br