Santuário Astorga

Author Archives: admin

Bispos do Chile rechaçam saque e profanação de igreja em Santiago

Posted on

Os bispos da Conferência Episcopal Chilena (CECh) se solidarizaram com o Administrador Apostólico de Santiago, Dom Celestino Aós, após o saque ocorrido na sexta-feira, 8 de novembro, na Igreja da Assunção.

“Solidarizamo-nos com o administrador apostólico, Dom Celestino Aós, e com todos os fiéis da arquidiocese de Santiago por ocasião do saque e profanação da paróquia da Assunção de Maria. O mesmo com as comunidades e pastores de outros templos e recintos de diversos cultos que foram atacados em distintas cidades”, indicaram os bispos em um comunicado publicado em seu site em 9 de novembro.

Na sexta-feira, 8 de novembro, um grupo de manifestantes entrou violentamente na paróquia da Assunção para roubar bancos, confessionários e imagens religiosas e com eles fazer barricadas.

Esta igreja, datada de 1876, está localizada a dois quarteirões da Praça Itália, onde foi realizada uma manifestação contra o governo de Sebastián Piñera.

Além da paróquia da Assunção, grupos de manifestantes incendiaram a sede da Universidade Pedro de Valdivia, também perto da Praça Itália.

Em seu comunicado, os prelados chilenos expressaram sua dor pelos “maus-tratos às pessoas, pelos saques constantes e pela violência, de onde quer que venha; causa-nos dor o ataque aos templos e a lugares de oração sem nenhum respeito por Deus nem por aqueles que cremos nele”.

“Os templos e outros locais de culto são sagrados”, ressaltaram.

“Que nossa oração a Deus seja insistente para invocar seu perdão pelas profanações e, como Igreja, repararemos essas gravíssimas ofensas a Deus e a seus fiéis”.

Em seguida, os bispos disseram que, “com muitos chilenos e chilenas, somos radicalmente contra a injustiça e a violência, condenamo-las em todas as suas formas e esperamos que os tribunais identifiquem os responsáveis ​​e os punam”.

“Os vândalos só nos impedem de olhar com a devida atenção para as reivindicações justas da maioria do povo chileno que deseja soluções reais e pacíficas”, continuaram.

Os bispos assinalaram que, “para controlar a desordem e restaurar a convivência cívica, pedimos às autoridades que apliquem a lei e a exercitem com todos os recursos próprios de um Estado democrático”.

“As pessoas não estão apenas cansadas da injustiça, mas também da violência, e a grande maioria anseia por um diálogo que reconstrua o tecido social”.

“Neste início do mês de Maria, invocamos Nossa Senhora do Carmo para nos dar um Chile unido, forjado com o esforço de todos os homens e mulheres de boa vontade”, concluíram.

O que desencadeou a violência no Chile?

Em 18 de outubro, começaram diversos protestos no Chile devido ao descontentamento dos cidadãos pelo aumento da tarifa do metrô, integrada à rede de ônibus metropolitana.

Esse mal-estar causou a evasão massiva da tarifa de 830 pesos chilenos (cerca de 1,17 dólares) em diferentes estações e, horas depois, houve uma escalada de violência que terminou na destruição de estações do metrô, vias públicas, incêndios em supermercados e saques.

O governo convocou um estado de emergência e toque de recolher com restrição de mobilização e reunião em determinadas horas para restaurar a ordem. Além disso, anunciou medidas para tentar acalmar a situação que também se replicou nas regiões.

Desde então, houve manifestações diárias através de marchas em massa que terminaram em desordens nas vias públicas, confrontos com a polícia, ataques a propriedades privadas, públicas e prédios do patrimônio.

Até o momento, são contabilizados mais de 4 mil presos; cerca de 10 mortos; 1.600 civis feridos por armas de fogo; cerca de mil policiais feridos; e um custo aproximado por danos à infraestrutura pública só na região metropolitana de 12,6 bilhões de pesos (cerca de 16 milhões de dólares).

Fonte:acidigital.com.br

7 motivos pelos quais um sacristão é importante nas igrejas católicas

Posted on

Durante a celebração da Missa, o sacerdote é assistido pelos acólitos, mas é o sacristão quem ajuda não apenas nas questões litúrgicas, mas também para o bom andamento cotidiano do serviço nas igrejas católicas.

A seguir, apresentamos 7 razões pelas quais o sacristão é importante nos templos:

1. Disponibilidade e serviço

O sacristão é um leigo ou religioso que é responsável pela ordem, cuidado e limpeza da igreja. Encarrega-se de que o sacerdote tenha todo o necessário para presidir a Eucaristia em cada tempo litúrgico, festa e solenidade.

O Sistema Informativo da Arquidiocese do México (SIAME), a partir de uma entrevista feita com um grupo de sacristãos, indicou que nesta ocupação “não há somente homens, mas também sacristães. Aliás, excelentes”.

Também deve “ter a disposição para fazer o que te peçam, por exemplo, trabalhos humildes de limpeza, e para ir onde quer que seja, mudar de paróquia, de rumo, de comunidade”.

“Às vezes, precisa servir também como coroinha, ou leitor. Nunca sabe o que vai ter que fazer e isso faz com que o trabalho não seja monótono, sempre há algo diferente”, indicou uma dos sacristãos entrevistado pelo SIAME.

2. Trabalha quando os demais descansam

Segundo informou o SIAME, um sacristão trabalha “a semana toda, e mais ainda nos domingos e dias festivos”.

“Quando há Missa 7h, precisa madrugar, quando há Missa 21h, precisa se manter acordado”.

O sacristão é o primeiro a chegar ao templo pela manhã e o último a sair. “Verifica se não ficou ninguém. Faz uma última vistoria para assegurar-se de que deixou as coisas em ordem”.

3. A primeira e a última coisa que faz é rezar

O SIAME indicou que a primeira coisa que o sacristão faz ao chegar à igreja “é rezar, encomendar seu dia ao Senhor”. Antes de voltar para sua casa, “faz um breve oração para agradecer a Jesus por seu dia, e apaga a luz”.

4. É paciente e humilde

A maior virtude do sacristão é a paciência e a “exerce constantemente para tratar com afabilidade todas as pessoas, que nem sempre são amáveis nem prudentes”.

Também tem a humildade para realizar tudo o que é preciso. “Adapta-se a varrer, a recolher e organizar os folhetos de Missa que as pessoas deixam, a apagar e tirar as velas gastas, a limpar os bancos e genuflexórios e até a tirar chicletes que alguns mal-educados deixaram colados na parte de baixo de seus bancos”.

5. Capacidade de adaptação

Um dos maiores desafios desta ocupação é “lidar com diferentes sacerdotes”.

Para um sacristão, é fundamental “ter a capacidade de adaptação, boa vontade, e colocar-se pronto para lembrar como cada um prefere que o ajude”.

Também “chega a ter tamanha ligação com seu pároco, que basta que este lhe faça um gesto rápido, um olhar, uma pequena inclinação de cabeça, e capta instantaneamente o que precisa e se apressar a trazer-lhe”.

6. Não é só trabalho

Por outro lado, os sacristãos disseram ao SIAME que o mais satisfatório desse ofício é “lidar com as pessoas. No geral, é muito respeitoso e enriquecedor. Conhece todos os tipos de pessoas, faz boas amizades, aprende”.

O serviço de sacristão é uma oportunidade de “crescimento espiritual. Que não beneficia apenas a mim mesmo, mas que me ajuda muito nas  relação com minha família, amigos e conhecidos”.

Um dos sacristãos comenta que, “apesar dos meus defeitos, Deus me chamou para servi-lo. Sinto-me muito grato. E não considera que seja apenas um emprego. Se fosse assim, já teria renunciado”.

“Para mim, é um apostolado, um serviço a Deus e aos meus irmãos”, ressalta.

7. Desejo de aprender e melhorar

Os sacristãos também disseram ao SIAME que há uma necessidade de cursos de preparação e atualização para seu ofício.

Expressaram seu desejo de que “houvesse bom material que pudéssemos ler, estudar, por exemplo, um manual. E reuniões para nos conhecermos entre nós, nos tornarmos amigos”.

Fonte:acidigital.com.br

Estado Islâmico mata sacerdote e seu pai em emboscada

Posted on

Na segunda-feira, 11 de novembro, um sacerdote católico e seu pai foram assassinados pelo Estado Islâmico (ISIS) na região de Deir ez-Zora, no norte da Síria, perto da fronteira com a Turquia.

SyriacMilitaryMFS@SyriacMFS

Today in NE Syria:

• Priest of Armenian Catholic Church of Qamishli Hovsep Petoyan and his father Priest A. Petoyan martyred on their way to Deir Ez Zor. ISIS claimed the attack.

• Three explosions in Qamishli one near Chaldean Church. Explosions caused death & casualties.

View image on TwitterView image on TwitterView image on Twitter
471 people are talking about this

Segundo informa o jornal italiano ‘Avvenire’, Pe. Hovsep Petoyan e seu pai Abraham sofreram uma emboscada na estrada entre a cidade de Hasakeh e Deir ez-Zora, no distrito de Busayra.

Ambos estavam acompanhados pelo diácono Fati Sano em um carro SUV cinza, no qual se dirigiam para inspecionar as obras de restauração da bela igreja católica armênia de Deir ez-Zora.

Na emboscada, os terroristas abriram fogo assassinando o pai no local, enquanto seu filho, Pe. Hoysep, morreu depois por causa dos ferimentos. O diácono ficou ferido.

Na mesma região, pelo menos três civis ficaram feridos pela explosão de três bombas ao mesmo tempo em um mercado e que teriam sido colocadas em uma motocicleta e dois carros.

Fonte:acidigital.com.br

Capitalismo inclusivo: “ser mais” e não “ter mais”, afirma o Papa

Posted on
O Papa Francisco recebeu membros de associação que promove economia mais justa e humana e reiterou os princípios da Doutrina Social da Igreja.

Bianca Fraccalvieri – Cidade do Vaticano

O Papa Francisco recebeu em audiência, no Vaticano, os membros do Conselho em prol de um Capitalismo Inclusivo.

O Conselho é um dos frutos do Fórum Global “Fortune and Time”,  realizado em 2016, que havia destacado a necessidade de modelos econômicos mais inclusivos e équos.

“O aumento dos níveis de pobreza em escala global testemunha que a desigualdade prevalece sobre a integração harmoniosa de pessoas e nações. É necessário e urgente um sistema econômico justo, confiável e capaz de responder aos desafios mais radicais que a humanidade e o planeta devem enfrentar”, defendeu o Pontífice.

Ouça a reportagem

O Papa reiterou que um sistema econômico saudável não pode ser baseado nos lucros a curto prazo em detrimento de um desenvolvimento e investimentos produtivos, sustentáveis e socialmente responsáveis a longo prazo.

O verdadeiro desenvolvimento não pode se limitar somente ao crescimento econômico, mas favorecer a promoção de cada homem e de todo homem, como dizia São Paulo VI.

Enquadrar as contas

Para Francisco, isso significa muito mais do que “enquadrar as contas” ou oferecer uma ampla variedade de bens de consumo, mas “uma renovação, uma purificação e um reforço de válidos modelos baseados na nossa conversão pessoal e generosidade para com os mais necessitados”.

“Um sistema econômico sem preocupações éticas não conduz a uma ordem social mais justa, mas leva, ao invés, a uma cultura descartável dos consumos”, recordou o Papa.

Somente reconhecendo a dimensão moral da vida econômica somos capazes de agir com caridade fraterna, desejando, buscando e protegendo o bem dos outros e o seu desenvolvimento integral.

Em outras palavras, acrescentou o Papa, não se trata simplesmente de “ter mais”, mas “ser mais”. Quando isto acontece, há uma renovação profunda das mentes e dos corações, de modo que a pessoa humana possa ser sempre colocada no centro da vida social, cultural e econômica.

Francisco concluiu afirmando que o Conselho é um sinal de esperança, pois seus membros se comprometeram em promover uma economia mais justa e humana, em sintonia com os princípios da Doutrina Social da Igreja.

“ Um capitalismo inclusivo, que não deixa ninguém para trás, que não descarta nenhum dos nossos irmãos e irmãs, é uma nobre aspiração, digna de seus melhores esforços. ”

12 de Novembro – São Josafá

Posted on

Hoje celebramos a memória do santo Bispo que derramou o seu sangue por amor do Supremo e Único Pastor das ovelhas, tornando-se precursor do ecumenismo

Nascido em Wladimir (Ucrânia), no ano de 1580, numa família de ortodoxos, ou seja, ligados à Igreja Bizantina e não à Igreja Romana. Com a mudança de vida mudou também o nome para Josafá, pois era comerciante até que, tocado pelo Espírito do Senhor, abraçou a fé católica e entrou para a Ordem de São Basílio, na qual, como monge desde os 24 anos, tornou-se apóstolo da unidade e sacerdote do Senhor. Dotado de muitas virtudes e dons, foi superior de vários conventos, até tornar-se Arcebispo de Polotsk em 1618 e lutar pela formação do Clero, pela catequese do povo e pela evangelização de todos.

São Josafá, além de promover com o seu testemunho a caridade para com os pobres, desgastou-se por inteiro na promoção da unidade da Igreja Bizantina com a Romana; por isso conseguiu levar muitos a viverem unidos na Igreja de Cristo. Os que entravam em comunhão com a Igreja Romana, como Josafá, passaram a ser chamados de “uniatas”, ou seja, excluídos e acusados de maus patriotas e apóstolos, segundo os ortodoxos.

Aconteceu que numa viagem pastoral, Josafá, com 43 anos na época, foi atacado, maltratado e martirizado. Após ser assassinado, São Josafá foi preso a um cão morto e lançado num rio. Dessa forma, entrou no Céu, donde continua intercedendo pela unidade dos cristãos, tanto assim que os próprios assassinos mais tarde converteram-se à unidade desejada por Nosso Senhor Jesus Cristo.

São Josafá, rogai por nós!

 

fonte/texto: cancaonova.com

LITURGIA-12 DE NOVENBRO TERÇA FEIRA

Posted on

SÃO JOSAFÁ

BISPO E MÁRTIR

(vermelho, pref. comum ou dos santos, pág. 7 – ofício da memória)

Este santo lutou até a morte pela lei de seu Deus e não temeu as ameaças dos ímpios, pois se apoiava numa rocha inabalável.

Josafá nasceu na Ucrânia em 1580 e foi morto na Bielorrússia em 1623. Como bispo, trabalhou pela reforma da vida monástica e pela união da Igreja na Rússia com a Santa Sé. Dedicou-se à promoção social do povo, sendo bem-aceito por ele, mas enfrentou a hostilidade dos poderosos e foi martirizado. Celebrando sua memória, peçamos ao Senhor que nos conceda ser homens e mulheres de fé.

Primeira Leitura: Sabedoria 2,23-3,9

 

Leitura do livro da Sabedoria – 23Deus criou o homem para a imortalidade e o fez à imagem de sua própria natureza; 24foi por inveja do diabo que a morte entrou no mundo, e experimentam-na os que a ele pertencem. 3,1A vida dos justos está nas mãos de Deus, e nenhum tormento os atingirá. 2Aos olhos dos insensatos parecem ter morrido; sua saída do mundo foi considerada uma desgraça, 3e sua partida do meio de nós, uma destruição; mas eles estão em paz. 4Aos olhos dos homens parecem ter sido castigados, mas sua esperança é cheia de imortalidade; 5tendo sofrido leves correções, serão cumulados de grandes bens, porque Deus os pôs à prova e os achou dignos de si. 6Provou-os como se prova o ouro no fogo e aceitou-os como ofertas de holocausto; 7no dia do seu julgamento hão de brilhar, correndo como centelhas no meio da palha; 8vão julgar as nações e dominar os povos, e o Senhor reinará sobre eles para sempre. 9Os que nele confiam compreenderão a verdade, e os que perseveram no amor ficarão junto dele, porque a graça e a misericórdia são para seus eleitos. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 33(34)

 

Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo!

  1. Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, / seu louvor estará sempre em minha boca. / Minha alma se gloria no Senhor; / que ouçam os humildes e se alegrem! – R.
  2. O Senhor pousa seus olhos sobre os justos, / e seu ouvido está atento ao seu chamado; / mas ele volta a sua face contra os maus, / para da terra apagar sua lembrança. – R.
  3. Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta / e de todas as angústias os liberta. / Do coração atribulado ele está perto / e conforta os de espírito abatido. – R.
c

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Quem me ama, realmente, guardará minha palavra, / e meu Pai o amará, e a ele nós viremos (Jo 14,23). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, disse Jesus: 7“Se algum de vós tem um empregado que trabalha a terra ou cuida dos animais, por acaso vai dizer-lhe, quando ele volta do campo: ‘Vem depressa para a mesa’? 8Pelo contrário, não vai dizer ao empregado: ‘Prepara-me o jantar, cinge-te e serve-me, enquanto eu como e bebo; depois disso tu poderás comer e beber’? 9Será que vai agradecer ao empregado, porque fez o que lhe havia mandado? 10Assim também vós, quando tiverdes feito tudo o que vos mandaram, dizei: ‘Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer’”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Jesus convida seus discípulos a entregar-se inteiramente à missão, sem buscar regalias incompatíveis com a urgência da implantação do Reino de Deus. Ele é o modelo do servo fiel: “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir” (Mc 10,45). Generoso e gratuito deve ser o serviço que prestamos ao Reino de Jesus. São Paulo dizia aos líderes religiosos de Éfeso: “Eu servi ao Senhor com toda a humildade, com lágrimas e no meio das provações… Nunca deixei de ensinar o que pudesse ser útil para vocês” (At 20,19-20). A recompensa virá, pois Deus está atento ao menor gesto de amor. Com humildade e alegria, façamos o que nos compete, segundo os dons que de Deus recebemos.

Fonte:paulus.com.br

11 de Novembro – São Martinho de Tours

Posted on

Nasceu em 316 na Panônia (atual Hungria), numa família pagã que da parte do pai (oficial do exército romano) fez de Martinho um militar, enquanto o Pai do Céu o estava fazendo cristão, já que começou a fazer o Catecumenato.

Certa vez quando militar, mas ainda não batizado, Martinho partiu em duas partes seu manto para dá-lo a um pobre, e assim Jesus aparece-lhe durante a noite e disse-lhe: “Martinho, principiante na fé, cobriu-me com este manto”. Então este homem de Deus foi batizado e abandonou a vida militar para viver intensamente a vida religiosa e as inspirações do Espírito Santo para sua vida.

Com a direção e ajuda do Bispo Hilário, Martinho tornou-se monge, Diácono, fundador do primeiro mosteiro na França e depois sacerdote que formava os seus “filhos” para a contemplação e ao mesmo tempo para a missão de evangelizar os pagãos; diferenciando-se com isso dos mosteiros do Oriente.

Por ser fiel no pouco, São Martinho recebeu o mais, que veio com a sua Ordenação para Bispo em Tours. Isto não o impediu de fundar ainda muitos outros mosteiros a fim de melhor evangelizar sua Diocese. Entrou no Céu em 397.

São Martinho de Tours, rogai por nós!

 

 

fonte/texto: cancaonova.com

LITURGIA-11DE NOVENBRO SEGUNDA FEIRA

Posted on

SÃO MARTINHO DE TOURS

BISPO

(branco, pref. comum ou dos pastores, pág. 7 – ofício da memória)

Farei surgir um sacerdote fiel, que agirá segundo o meu coração e a minha vontade, diz o Senhor (1Sm 2,35).

Martinho nasceu na Hungria em 316 e faleceu na França em 397. Abandonando a carreira militar, tornou-se presbítero e depois bispo de Tours, onde se fez apóstolo das populações rurais. Fundou na França o primeiro mosteiro do Ocidente. Sua obra pastoral, litúrgica e monástica teve destaque fundamental na história da Igreja na Gália. A celebração de sua memória nos anime a imitar seu exemplo e buscar promover a vida dos pobres e carentes de nossa sociedade.

Primeira Leitura: Sabedoria 1,1-7

 

Início do livro da Sabedoria – 1Amai a justiça, vós que governais a terra; tende bons sentimentos para com o Senhor e procurai-o com simplicidade de coração. 2Ele se deixa encontrar pelos que não exigem provas e se manifesta aos que nele confiam. 3Pois os pensamentos perversos afastam de Deus; e seu poder, posto à prova, confunde os insensatos. 4A sabedoria não entra numa alma que trama o mal nem mora num corpo sujeito ao pecado. 5O espírito santo, que a ensina, foge da astúcia, afasta-se dos pensamentos insensatos e retrai-se quando sobrevém a injustiça. 6Com efeito, a sabedoria é o espírito que ama os homens, mas não deixa sem castigo quem blasfema com seus próprios lábios, pois Deus é testemunha dos seus pensamentos, investiga seu coração segundo a verdade e mantém-se à escuta da sua língua; 7porque o espírito do Senhor enche toda a terra, mantém unidas todas as coisas e tem conhecimento de tudo o que se diz. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 138(139)

 

Conduzi-me no caminho para a vida, ó Senhor!

  1. Senhor, vós me sondais e conheceis, / sabeis quando me sento ou me levanto; / de longe penetrais meus pensamentos, † percebeis quando me deito e quando eu ando, / os meus caminhos vos são todos conhecidos. – R.
  2. A palavra nem chegou à minha língua / e já, Senhor, a conheceis inteiramente. / Por detrás e pela frente me envolveis; / pusestes sobre mim a vossa mão. / Essa verdade é por demais maravilhosa, / é tão sublime, que não posso compreendê-la. – R.
  3. Em que lugar me ocultarei de vosso espírito? / E para onde fugirei de vossa face? / Se eu subir até os céus, ali estais; / se eu descer até o abismo, estais presente. – R.
  4. Se a aurora me emprestar as suas asas, / para eu voar e habitar no fim dos mares, / mesmo lá vai me guiar a vossa mão / e segurar-me com firmeza a vossa destra. – R.
Evangelho: Lucas 17,1-6

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Como astros no mundo, brilheis, / pregando a Palavra da vida! (Fl 2,15s) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 1Jesus disse a seus discípulos: “É inevitável que aconteçam escândalos. Mas ai daquele que produz escândalos! 2Seria melhor para ele que lhe amarrassem uma pedra de moinho no pescoço e o jogassem no mar do que escandalizar um desses pequeninos. 3Prestai atenção: se o teu irmão pecar, repreende-o. Se ele se converter, perdoa-lhe. 4Se ele pecar contra ti sete vezes num só dia e sete vezes vier a ti, dizendo: ‘Estou arrependido’, tu deves perdoá-lo”. 5Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” 6O Senhor respondeu: “Se vós tivésseis fé, mesmo pequena como um grão de mostarda, poderíeis dizer a esta amoreira: ‘Arranca-te daqui e planta-te no mar’, e ela vos obedeceria”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Três importantes lembretes de Jesus: evitar o escândalo; praticar a correção fraterna unida ao perdão; viver na fé. Escandalizar é dar mau exemplo, dificultar a prática da justiça e o seguimento a Jesus. Para a boa vivência comunitária, quem errou deve manifestar arrependimento e pedir perdão. Se Jesus tanto recomendou o perdão, é por causa da dificuldade que temos de perdoar, e porque não há progresso na vida espiritual sem a atitude do perdão. O perdão que concedemos a quem nos ofende é a chave para obtermos de Deus seu perdão libertador. Finalmente, a fé é um exercício constante. À medida que obtivermos, pela fé, as graças de que necessitamos, nossa fé se fortalece. É um esforço cotidiano e atitude constante de confiança em Deus. A fé é dom de Deus, mas precisamos cultivá-la sem cessar.

Fonte:paulus.com.br

10 de Novembro – São Leão Magno

Posted on

O santo de hoje mostrou-se digno de receber o título de “Magno”, que significa Grande, isto porque é considerado um dos maiores Papas da história da Igreja, grande no trabalho e na santidade. São Leão Magno nasceu em Toscana (Itália) no ano de 395 e depois de entrar jovem no seminário, serviu a diocese num sacerdócio santo e prestativo.

Ao ser eleito Papa, em 440, teve que evangelizar e governar a Igreja numa época brusca do Império Romano, pois já sofria com as heresias e invasões dos povos bárbaros, com suas violentas invasões. São Leão enfrentou e condenou o veneno de várias mentiras doutrinais, porém, combateu com intenso fervor o monofisismo que defendia, mentirosamente, ter Jesus Cristo uma só natureza e não a Divina e a humana em uma só pessoa como é a verdade. O Concílio de Calcedônia foi o triunfo da doutrina e da autoridade do grande Pontífice. Os 500 Bispos que o Imperador convocara, para resolverem sobra a questão do monofisismo, limitaram-se a ler a carta papal, exclamando ao mesmo tempo: “Roma falou por meio de Leão, a causa está decidida; causa finita est”.

Quanto à dimensão social, Leão foi crescendo, já que com a vitória dos desordeiros bárbaros sobre as forças do Império Romano, a última esperança era o eloquente e santo Doutor da Igreja, que conseguiu salvar da destruição, a Itália, Roma e muitas pessoas. Átila ultrapassara os Alpes e entrara na Itália. O Imperador fugia e os generais romanos escondiam-se. O Papa era a única força capaz de impedir a ruína universal. São Leão sai ao encontro do conquistador bárbaro, acampado às portas de Mântua. É certo que o bárbaro abrandou-se ao ver diante de si, em atitude de suplicante, o Pontífice dos cristãos e retrocedeu com todo o seu exército.

Dentre tantas riquezas em obras e escritos, São Leão Magno deixou-nos este grito: “Toma consciência, ó cristão da tua dignidade, já que participas da natureza Divina”.

Entrou no Céu no ano de 461.

São Leão Magno, rogai por nós!

 

 

fonte/texto: cancaonova.com

LITURGIA-10 DE NOVENBRO DOMINGO

Posted on

32º DO TEMPO COMUM

(verde, glória, creio – 4ª semana do saltério)

Chegue até vós a minha súplica; inclinai vosso ouvido à minha prece (Sl 87,3).

Com os corações unidos no amor e na esperança, celebramos a presença do Senhor em nosso meio. Ele é o Deus da vida e o Pai de cada um de nós, que formamos sua família. Demos-lhe graças por nos permitir viver para ele e por nos dar a certeza da ressurreição em Cristo, a vida em plenitude que todos almejamos e que somos chamados a favorecer, no nosso dia a dia, com ações e palavras.

Primeira Leitura: 2 Macabeus 7,1-2.9-14

 

Leitura do segundo livro dos Macabeus – Naqueles dias, 1aconteceu que foram presos sete irmãos com sua mãe, aos quais o rei, por meio de golpes de chicote e de nervos de boi, quis obrigar a comer carne de porco, que lhes era proibida. 2Um deles, tomando a palavra em nome de todos, falou assim: “Que pretendes? E que procuras saber de nós? Estamos prontos a morrer, antes que violar as leis de nossos pais”. 9O segundo, prestes a dar o último suspiro, disse: “Tu, ó malvado, nos tiras desta vida presente. Mas o rei do universo nos ressuscitará para uma vida eterna, a nós que morremos por suas leis”. 10Depois deste, começaram a torturar o terceiro. Apresentou a língua logo que o intimidaram e estendeu corajosamente as mãos. 11E disse, cheio de confiança: “Do céu recebi estes membros; por causa de suas leis, os desprezo, pois do céu espero recebê-los de novo”. 12O próprio rei e os que o acompanhavam ficaram impressionados com a coragem desse adolescente, que considerava os sofrimentos como se nada fossem. 13Morto também esse, submeteram o quarto irmão aos mesmos suplícios, desfigurando-o. 14Estando quase a expirar, ele disse: “Prefiro ser morto pelos homens, tendo em vista a esperança dada por Deus, que um dia nos ressuscitará. Para ti, porém, ó rei, não haverá ressurreição para a vida!” – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 16(17)

 

Ao despertar, me saciará vossa presença / e verei a vossa face!

  1. Ó Senhor, ouvi a minha justa causa, / escutai-me e atendei o meu clamor! / Inclinai o vosso ouvido à minha prece, / pois não existe falsidade nos meus lábios! – R.
  2. Os meus passos eu firmei na vossa estrada, / e por isso os meus pés não vacilaram. / Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, / inclinai o vosso ouvido e escutai-me! – R.
  3. Protegei-me qual dos olhos a pupila / e guardai-me à proteção de vossas asas. / Mas eu verei, justificado, a vossa face / e, ao despertar, me saciará vossa presença. – R.
Segunda Leitura: 2 Tessalonicenses 2,16-3,5

 

Leitura da segunda carta de são Paulo aos Tessalonicenses – Irmãos, 16nosso Senhor Jesus Cristo e Deus nosso Pai, que nos amou em sua graça e nos proporcionou uma consolação eterna e feliz esperança, 17animem os vossos corações e vos confirmem em toda boa ação e palavra. 3,1Quanto ao mais, irmãos, rezai por nós, para que a palavra do Senhor seja divulgada e glorificada como foi entre vós. 2Rezai também para que sejamos livres dos homens maus e perversos, pois nem todos têm a fé! 3Mas o Senhor é fiel; ele vos confirmará e vos guardará do mal. 4O Senhor nos dá a certeza de que vós estais seguindo e sempre seguireis as nossas instruções. 5Que o Senhor dirija os vossos corações ao amor de Deus e à firme esperança em Cristo. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Lucas 20,27-38 ou 27.34-38

 

[A forma breve está entre colchetes.]

Aleluia, aleluia, aleluia.

Jesus Cristo é o primogênito dos mortos; / a ele a glória e o domínio para sempre! (Ap 1,5s) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – [Naquele tempo, 27aproximaram-se de Jesus alguns saduceus, que negam a ressurreição, 28e o interrogaram]: “Mestre, Moisés deixou-nos escrito: se alguém tiver um irmão casado e este morrer sem filhos, deve casar-se com a viúva a fim de garantir a descendência para o seu irmão. 29Ora, havia sete irmãos. O primeiro casou e morreu sem deixar filhos. 30Também o segundo 31e o terceiro se casaram com a viúva. E assim os sete: todos morreram sem deixar filhos. 32Por fim, morreu também a mulher. 33Na ressurreição, ela será esposa de quem? Todos os sete estiveram casados com ela”. [34Jesus respondeu aos saduceus: “Nesta vida, os homens e as mulheres casam-se, 35mas os que forem julgados dignos da ressurreição dos mortos e de participar da vida futura, nem eles se casam nem elas se dão em casamento; 36e já não poderão morrer, pois serão iguais aos anjos, serão filhos de Deus, porque ressuscitaram. 37Que os mortos ressuscitam, Moisés também o indicou na passagem da sarça, quando chama o Senhor de ‘o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó’. 38Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para ele”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Jesus termina sua longa caminhada e já se encontra em Jerusalém. Lá enfrenta alguns adversários e procura esclarecer algumas dúvidas da comunidade. A dúvida do evangelho deste domingo é sobre a questão da ressurreição posta pelo grupo conservador dos saduceus. A ressurreição é o antigo e sempre atual questionamento sobre o que acontece depois da morte. Os saduceus são os sacerdotes guardiões do templo e da Lei. Eles só aceitavam o Pentateuco (a Lei), no qual nada se fala de ressurreição. Diante disso, apresentam o caso da mulher que teve sete maridos (lei do
levirato) e perguntam a Jesus de quem ela será esposa depois da ressurreição. Introduzem esse caso para mostrar o absurdo da ressurreição. Jesus responde aos saduceus em dois momentos: o outro mundo não é reprodução do presente; o Deus da revelação é Deus dos vivos (Abraão, Isaac e Jacó). O sentido da vida humana é viver para Deus. Uma vida assim vivida não conhece fim. Quem está com Deus estará sempre vivo. O Deus criador da vida é também o ressuscitador que leva o ser humano à sua plenitude. Amando o Deus que é amor estaremos nele nesta vida e na eternidade. O Deus do amor deseja para todos uma vida feliz e plena para sempre.

Fonte:paulus.com.br